São Caetano, 10 vitórias, fez por merecer. Todo castigo é pouco para quem perde para o Sesi

São Caetano, 10 vitórias, fez por merecer. Todo castigo é pouco para quem perde para o Sesi

Bruno Voloch

03 Março 2018 | 10h06

Como pode um time que venceu 10 jogos ficar de fora dos playoffs e perder a vaga para outro que ganhou apenas 7?

Aqui pode.

Só que se engana quem pensa São Caetano perdeu a vaga nos playoffs na última rodada.

Não.

São Caetano perdeu a vaga quando foi derrotado pelo Sesi por 3 a 1. A única vitória do Sesi em 22 jogos na Superliga teve peso decisivo para selar o destino de São Caetano na competição.

O mais curioso, o que demonstra a capacidade técnica do time, igual ou superior aos concorrentes diretos Bauru e Pinheiros, é que São Caetano deixa a Superliga com 10 vitórias, ou seja, 3 a mais que Bauru, oitavo colocado com 29 pontos.

De tie-break em tie-break, Bauru chegou aos playoffs. Beliscando um ponto ali, outro aqui e pelas mãos de Tifanny. Se não fosse a oposta, Bauru estaria fora.

O Pinheiros chega aos trancos e barrancos, o que também não é nenhuma novidade, mas ainda assim com menos vitórias que São Caetano.

O time de Hairton Cabral deve estar lamentando até hoje o tropeço contra o Sesi. E quem perde para o Sesi, quem consegue essa façanha, não pode reclamar de nada.

Injusto ou não, o regulamento era de conhecimento geral e diferente daquele que é aplicado na FIVB, por exemplo, onde o número de vitórias é o primeiro critério, aqui vale quem soma mais pontos.

São Caetano, nesse caso, dançou.