Seleção do Quênia ganha patrocínio de US$ 400 mil até 2018

Seleção do Quênia ganha patrocínio de US$ 400 mil até 2018

Bruno Voloch

02 de setembro de 2015 | 08h58

Os números são irrisórios perto da realidade das grandes potências do vôlei mundial.

Fato é que o governo do Quênia, empolgado com o sucesso da seleção feminina, atual campeã africana e representando o país na Copa do Mundo do Japão, consegui fechar patrocínio por mais 3 anos.

kenia

A Companhia Nacional de Petróleo do país, que já investia na seleção, continuará bancando os custos até 2018. O valor estimado é algo em torno de 135 mil dólares por ano.

A seleção segue recebendo material esportivo, vestindo as cores do patrocinador e continuará sendo chamada de Malkia Strikers, nome da empresa.

O Quênia conquistou a terceira divisão do Grand Prix em 2015 ao derrotar o Peru na final.

FIVB-Ranking

Na ocasião, as jogadoras receberam o prêmio de 14 mil dólares do vice-presidente William Ruto.

O vôlei africano jamais teve tanto espaço no cenário mundial.

A mudança no formato de disputa do Grand Prix, decisão da FIVB, Federação Internacional de Vôlei,  acabou proporcionando maior visibilidade e abriu as portas para um mundo até então desconhecido.

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.