Seleção feminina passa sufoco em Toronto e Adenízia sobra na turma do Pan-Americano

Seleção feminina passa sufoco em Toronto e Adenízia sobra na turma do Pan-Americano

Bruno Voloch

21 de julho de 2015 | 14h35

Ela foi pouco utilizada nas duas primeiras rodadas do Grand Prix.

Nos 3 jogos da seleção no Pan-Americano, a central Adenízia está sobrando.

addeee

Na vitória suada e merecida diante dos Estados Unidos por 3 sets a 2, a jogadora foi novamente a melhor em quadra e terminou como maior pontuadora com 19 pontos.

O BRASIL precisou se superar. O desentrosamento ainda é nítido. A seleção jogou boa parte do jogo correndo atrás dos Estados Unidos o que valoriza ainda mais a vitória do time.

As norte-americanas abusaram dos erros de passe, mas brilharam na defesa. Foi um sufoco colocar bola no chão.

No fim do jogo brilhou a estrela do técnico.

Zé Roberto tirou Macris e Rosamaria, que jogaram bem, e colocou Ana Tiemi e Joycinha.

joycinha

Curiosamente, quis o destino que Joycinha definisse a partida com aproveitamento espetacular no bloqueio nos últimos pontos.

Mari Paraíba, que substituiu Jaqueline, novamente de fora, foi regular.

Líder do grupo, o BRASIL segue no limite, avança para a semifinal e se garante na disputa por medalha.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: