Sesc e Sesi sob ameaça e na mira do governo Bolsonaro

Bruno Voloch

18 de dezembro de 2018 | 09h22

Se depender de Paulo Guedes, futuro ministro da Economia, os projetos do Sesc e do Sesi estão seriamente ameaçados para a próxima temporada.

Haverá no mínimo uma redução de 30% e que pode, dependendo do caso, chegar a metade dos recursos. Paulo Guedes irá mexer no Sistema S, que inclui além do Sesi e Sesc, o Senai e Sebrae.

Ele deixou claro que irá interferir diretamente na fonte bilionária de financiamento aos serviços de cultura e lazer mantidos por federações e confederações patronais.

Guedes, em encontro com empresários e executivos ligados a indústria, usou o termo ‘meter a faca’ para evidenciar seu descontentamento com a atual política e a necessidade de cortes.

Tendências: