Sonho adiado. Era uma vez Shaoxing para o Praia Clube

Sonho adiado. Era uma vez Shaoxing para o Praia Clube

Bruno Voloch

05 de dezembro de 2019 | 12h00

Fim do sonho.

Assim como o Minas na véspera, o mundial acabou para o Praia Clube em apenas duas rodadas. A derrota por 3 a 2 para o Tianjin eliminou o segundo time brasileiro da competição na China.

Ambos caem na primeira fase.

Para piorar, o caminho ainda não é o aeroporto.

Minas e Praia terão que cumprir tabela na terceira rodada e depois disputarem do quinto ao oitavo. E não será fácil. O objetivo passa a ser evitar o desconforto de se enfrentarem para ver quem seria o último.

Tomara que não.

Contra o Tianjin, Paulo Coco escalou o que teoricamente teria de melhor. Promoveu o retorno de Claudinha e Fawcett e a domincana Martinez virou ponta.

Foram dois jogos.

Enquanto teve Zhu, o Tianjin abriu 2 a 0 e tinha a vitória encaminhada quando Hooker começou a desfilar sua habitual incompetência que só terminaria no quinto set quando sentou no banco.

O Praia conseguiu levar bem o jogo até a parte final do primeiro set quando sofreu a virada e foi impiedosamente dominado. No segundo set nem essa chance teve e foi facilmente batido.

O sumiço tradicional de Hooker e a lesão de Zhu no punho deram ainda sobrevida ao Praia que levou o jogo para o tie-break.

Enquanto o Tianjin tentava se reorganizar, o time brasileiro se aproveitava da ausência de Zhu e concentrava a marcação toda na canhota Li. Era a única que dava trabalhava e capaz de resolver.

E resolveu.

O Praia sucumbiu no fim e teve o mesmo destino do Minas.

 

 

 

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.