Sul-Americano: R$ 10 é muito caro para não ver nada até sábado.

Sul-Americano: R$ 10 é muito caro para não ver nada até sábado.

Bruno Voloch

20 Fevereiro 2018 | 10h10

Foi louvável a iniciativa do Minas em sediar o Sul-Americano. É o primeiro passo para tentar trazer o time de volta para o cenário internacional.

Mas o fanático torcedor mineiro, que é um dos que mais entende do esporte, não deve se iludir. Em tempos de crise, gastar R$ 10 para não ver nada é jogar dinheiro fora.

Ainda que com rodada dupla, justamente o que acontecerá entre terça e quinta-feira quando Minas e Rio jogarão contra ninguém.

Regatas Lima, do Peru, San Simón, da Bolívia e Gimnasia Y Esgrima e Boca Juniors, da Argentina, não fazem cosquinha.

Será preciso boa vontade para encarar até a sexta-feira dia das semifinais. Mas nesse caso, como o ingresso valerá para o sábado, data da final entre Minas e Rio, o conselho é carregar a bateria do celular e levar para a arena enquanto os jogos forem realizados. O tempo passa rapidinho.

Será um martírio também para as jogadoras de Minas e Rio esperarem até o sábado. O pior papel fica para as atletas do Minas, que por conta do investimento do patrocinador, que pagou pelo evento, são obrigadas a valorizar a competição.

Como?

Sinceramente não sei.