Supremacia ameaçada e Cruzeiro sob risco na Superliga.

Supremacia ameaçada e Cruzeiro sob risco na Superliga.

Bruno Voloch

24 Outubro 2018 | 08h59

É bom Taubaté, Sesc e Sesi capricharem e não desperdiçarem a oportunidade que terão.

A Superliga 2018/19 começa hoje com Campinas x Cruzeiro e sem o favoritismo do clube mineiro que conquistou os últimos 5 títulos da competição.

As saídas de Leal e Simon enfraqueceram o time mineiro. Apesar de ter contratado o francês Le Roux e o norte-americano Sander, o Cruzeiro não é mais o mesmo. Prova disso foi a perda recente da Supercopa.

Cachopa terá que se firmar como levantador titular. É um grupo experiente, rodado e que costuma surpreender quando é desafiado.

Será o caso.

Nunca o Cruzeiro viu sua supremacia ser tão ameaçada. Taubaté, Sesc e Sesi se reforçaram, andaram trocando peças e aparentemente chegam no mínimo em condições iguais que o Cruzeiro.

Cenário interessante e que torna a Superliga mais equilibrada e atrativa.

O regulamento cansado da primeira fase e a ausência do video challenge são os pontos fracos. Em compensação, a disputa das finais em 5 jogos é uma vitória dos clubes.

A tradição do Minas não pode ser desprezada e o clube mineiro deve dar trabalho. Se um dos 4 bobear, o Minas pode ir além das quartas de final.

Não é o caso de Campinas e Corinthians que terão que remar já que a briga será acirrada e interessante na parte intermediária porque sobra uma vaga para os playoffs.

Ribeirão Preto, pelo que mostrou no estadual, sai na frente de Caramuru que não pode deixar de olhar para baixo. Ali, a luta será pela manutenção na primeira divisão com Maringá, São Bernardo e Itapetininga. Esses não podem sonhar com nada diferente.