Surpreendente Jaqueline a seis meses da Olimpíada

Surpreendente Jaqueline a seis meses da Olimpíada

Bruno Voloch

25 de janeiro de 2020 | 10h12

Ela foi a última contratação de Osasco para a temporada. Talvez a mais inesperada e questionada.

Fato é que 5 meses após voltar ao clube, Jaqueline aprovou e é hoje a jogadora mais regular do time na Superliga, imprescindível ao esquema de Luizomar de Moura, que segue buscando a formação ideal.

Numa rodada fraca, com os grandes ganhando fácil e resultados previsíveis, Jaqueline foi novamente o destaque de Osasco, que suou, deixou escapar um set contra o Pinheiros na capital paulista, mas fez 3 a 1.

O que chama atenção não são os números de Jaqueline, como no jogo contra o Pinheiros, até porque ela nunca foi uma jogadora de definição.

O comportamento da atleta dentro e principalmente fora de quadra, com postura, equilíbrio e profissionalismo é que surpreende se comparado as temporadas anteriores. Mudança inesperada que deveria, não obrigatoriamente, fazer José Roberto Guimarães rever seu pensamento em termos de seleção brasileira.

E não seria nenhum absurdo, ainda mais com a carência de ponteiras passadoras que vive o BRASIL.

É óbvio que o Pinheiros não serve como parâmetro para nada e o nível lá fora é completamente diferente daquele praticado na Superliga. Mas a evolução dela é inegável e se o que conta é o momento, Jaqueline não pode ser completamente descartada.

Levando-se em conta que Natália e Gabizinha são nomes certos na posição, que Fernanda Garay ainda não decidiu se aceitará voltar e Drussyla não está 100%, o nome de Jaqueline aparecia como uma ótima opção para quarta ponteira e de quebra acabaria de vez com o pesadelo chamado Amanda.

Aos 36 anos, a jogadora bicampeã olímpica está 100% fisicamente.

Seria uma reserva de luxo.

No caso dela porém a técnica e a questão física não seriam suficientes. Jaqueline precisaria entender o seu lugar, se for o caso, no grupo. E somar, ajudar, sem criar desavenças deixando o individualismo de lado, como não foi o caso em algumas ocasiões no passado.

Trocar o ‘eu’, por ‘nós’.

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.