Tamanho não é documento. Não em Bauru.

Tamanho não é documento. Não em Bauru.

Bruno Voloch

11 Outubro 2016 | 08h20

A pequena Thaisinha de 1,74m e entrada de Bruna 1,80m fizeram toda a diferença no primeiro jogo semifinal do campeonato paulista entre Bauru e Pinheiros.

O bom aproveitamento no bloqueio e o desempenho acima da média da oposta Bárbara, 1,88m não foram suficientes para o Pinheiros.

vol1

Bauru fez 3 a 1 mesmo sem jogar bem. A promissora levantadora Juma demorou a entrar no jogo, fez um primeiro set ruim e o time de Bauru não ajudou. Dayse principalmente.

Marcos Kwiek colocou Bruna e mudou a cara do jogo. O técnico deu carinho para Juma e a jogadora, mesmo ainda distante do que pode render, melhorou. Insistiu demais na bola de segunda, travando um duelo com Ananda, mas não chegou a comprometer como no início da partida. Juma passou a usar as centrais, especialmente Valquíria, e abusou de Thaisinha.

Aliás, é bom ver essa Valquíria atuando. Jogadora de raça, que puxa o grupo e não se dá por vencida. Tem futuro.

Se sobrou carinho e conversa de uma lado, teve bronca e descontrole do outro. Paulo de Tarso perdeu a linha quando viu seu time ser dominado e sem reação especialmente a partir do terceiro set. As jogadoras não responderam. Foi feio. Maira, foco, se assustou com as palavras do treinador.

Falando de coisas positivas, além de Bárbara, dá para citar a partida interessante da central Milka. E só.

A série ainda está aberta. O Pinheiros vai precisar ganhar pelo menos 4 sets, por causa do regulamento, se quiser ser finalista.

Não no grito.