Tandara pode respirar aliviada. Gabizinha voltou.

Tandara pode respirar aliviada. Gabizinha voltou.

Bruno Voloch

28 Junho 2018 | 13h57

O foco é outro.

Melhor do que a vitória convincente sobre a Holanda por 3 a 0 foi constatar a recuperação de Gabizinha. É óbvio que a seleção continuará dependendo de Tandara.

Aliás será assim por um bom tempo.

Seria querer demais que a seleção brasileira não dependesse mais de Tandara.

Impossível.

Não irá acontecer. Sem ela em quadra chance zero do BRASIL ser campeão da primeira edição da VNL.

Com o retorno de Gabizinha a seleção vai ganhar no passe, volume de jogo, terá equilíbrio e finalmente a presença de uma ponteira de segurança.

Se a China precisou de 4 sets para derrotar essa mesma Holanda na véspera, significa que na prática o BRASIL sobrou nas duas primeiras rodadas.

O raciocínio não muda. É tudo igual, tanto que a Turquia fez 3 a 2 na Sérvia.