Tudo errado no Minas. Dentro e principalmente fora de quadra. Lavarini sob pressão.

Tudo errado no Minas. Dentro e principalmente fora de quadra. Lavarini sob pressão.

Bruno Voloch

16 Novembro 2017 | 08h40

O Minas repete os mesmos erros da temporada passada. O péssimo início de Superliga certamente irá comprometer o futuro do time nos playoffs.

Stefano Lavarini é o maior responsável. Ele e aqueles que optaram pela escolha do italiano para dirigir o clube. Só que normalmente nessas horas de pressão os dirigentes se escondem, evitam dar as caras e sobra mesmo para o técnico. Isolado.

Se mantiver o aproveitamento, conhecendo o Minas e como as coisas internas são resolvidas, não duvido nada que Lavarini não chegue até o fim da Superliga.

O improvável título estadual após mais de 10 anos de jejum era o maior trunfo do treinador. Só que as 3 derrotas em 7 jogos e a distância gigantesca para o Praia acabaram com o crédito de Lavarini.

Contra o Praia o Minas levou um banho de bola. Foi facilmente envolvido, passivo, presa fácil e mal escalado.

Como justificar Karol Tormena, nada contra a menina, sendo usada como oposta se Lavarini tem duas especialistas no elenco? Sim, porque Hooker e Laiza poderiam ser escaladas. Ou não?

Não cola essa de que a norte-americana não está 100% fisicamente. Hooker pode até não estar no ápice da forma, mas não pode nunca ser banco ou começar no banco.

E outra. Só vai ganhar condicionamento jogando.

Rosamaria parece deslocada e abaixo do que foi entregue pela seleção. Falta ponteira.

Nos pedidos de tempo é nítido o desconforto com Lavarini com o grupo.

A realidade é que o Minas, ainda que faltem 4 jogos, não deu liga, jogou o primeiro turno no ralo e terá que correr atrás do prejuízo a partir de dezembro.