Unanimidade aos 23 anos, Lucarelli diz que derrotas na base servem de alerta

Unanimidade aos 23 anos, Lucarelli diz que derrotas na base servem de alerta

Bruno Voloch

01 de setembro de 2015 | 08h28

A seleção brasileira masculina já está Edmonton, no Canadá.

Após os amistosos contra os Estados Unidos, quando venceu 3 das 4 partidas, o BRASIL irá fazer dois jogos contra os canadenses. O primeiro acontece hoje. O segundo será na quarta-feira.

O roteiro serve como preparação para o Sul-Americano que será jogado no fim do mês em Maceió.

A França será a última escala antes de retornar ao país.

O blog aproveitou para conversar com Lucarelli.

FIVB+World+League+Final+Six+Day+2+rL86Nbu-s6Kl

Aos 23 anos, hoje é uma das únicas unanimidades na seleção.

Sempre educado e gentil, o jogador falou do desempenho da seleção contra os Estados Unidos:

‘O aproveitamento foi bem satisfatório, enfrentamos uma excelente equipe e conseguimos em vários momentos impor nosso ritmo de jogo. Foi importante também fazer todo mundo jogar. Para nós que não vamos participar da Copa do Mundo será ótimo jogar contra equipes de alto nível e buscar nosso padrão de jogo.

Lucarelli comentou sobre o fracasso do BRASIL na Liga Mundial e admitiu que a eliminação precoce serve de aprendizado:

‘A não classificação para semifinal da Liga Mundial foi muito ruim. Nos últimos anos, mesmo sem sermos campeões, jogamos todas as finais desde o início do ciclo. Agora a cabeça está mais forte do que  nunca. Não podemos cometer os mesmos os erros dessa liga’.

vol-lucarelli-fivb62

O Canadá faz os últimos acertos para a jogar a Copa do Mundo. Lucarelli espera muitas dificuldades nos 2 jogos:

‘Acho que também servirá de teste, querendo ou não, o Canadá é uma seleção que sempre incomoda e tem jogadores de altíssimo nível’.

A Copa do Mundo vai classificar duas seleções para a Olimpíada do Rio. Lucarelli deu seu palpite sobre os possíveis classificados:

‘Acredito que Polônia, França e Estados Unidos são os times favoritos’.

Os recentes resultados negativos das categorias de base do vôlei brasileiro, segundo Lucarelli, servem de alerta:

‘É um alerta mas nada desesperador. Nós temos excelentes jogadores na base e acredito muito no potencial deles. Minha geração começou mal nos primeiros anos e foi evoluindo a cada temporada. Desejo o mesmo para eles’.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.