Viva Mari Paraíba e Érika. Isso sim!

Viva Mari Paraíba e Érika. Isso sim!

Bruno Voloch

11 Março 2018 | 20h50

Prometi que não falaria mais desse assunto depois do papelão que fizeram com a norte-americana Carli Lloyd. Só que não deu para segurar.

O que fizeram em Osasco foi mais uma grande injustiça. Nada contra Tandara, que pode render mais, e levou de novo. Recebeu 100 bolas, fez 30 pontos e ajudou Osasco. Os números, óbvio, chamam atenção.

Mas não é só isso.

Se existisse gente especializada, que entende do assunto e analisa o jogo com imparcialidade, o tal presentinho deveria ter parado nas mãos de Mari Paraíba, Érika ou Carol Albuquerque.

Decididamente não dá para levar a sério. A sorte é que os próprios jogadores, a maioria pelo menos, não se ilude.

Já perdi as contas de quantas o ganhador, constrangido, abre mão e entrega a quem de direito. Isso sem contar que nunca vi ninguém que tenha perdido o jogo levar o tal presentinho.

Por que será? Ou quem sai de quadra derrotado não pode ter sido o melhor jogador da partida?

Por essas e outras, chega de Viva Vôlei por aqui.

Viva sim, Mari Paraíba e Érika.