Vôlei masculino tem memória curta e justifica o injustificável

Bruno Voloch

31 de agosto de 2015 | 15h43

A polêmica infundada, criada de maneira tola e proposital sobre a ausência do BRASIL na Copa do Mundo, é totalmente desnecessária.

Basta ter um pouco de bom senso e deixar os interesses políticos e paralelos de lado.

É curioso.

brasil

Murilo e alguns ex-jogadores da seleção masculina defendem a participação da seleção Copa do Mundo. Afirmam categoricamente que se trata de uma grande injustiça.

José Roberto Guimarães e Sheilla, por outro lado, deram declarações contrárias concordando e afirmando estarem de acordo com a decisão da FIVB, Federação Internacional de Vôlei.

O blog vai ‘ajudar’ e refrescar a memória dos interessados.

A China, por exemplo, que foi vice-campeã asiática em 2007, não disputou a Copa do Mundo daquele ano pois já estava classificada para os Jogos Olímpicos de Pequim do ano seguinte.

Na ocasião, Tailândia e Coreia do Sul (3º e 4º lugares no Campeonato Continental) e o Japão, previamente classificado por ser o país-sede, jogaram a competição.

A questão é lógica.

Não seria justo o Brasil, já classificado para a Olimpíada e apenas pensando em treinar, disputar a Copa do Mundo e ao mesmo tempo tirar a oportunidade, de direito, de um segundo país da América do Sul de jogar uma competição classificatória para os Jogos Olímpicos do Rio.

arge

Por sinal, esquecendo o patriotismo e sendo realista, como manda o caso, o recente histórico que adquiriu nas competições internacionais deixa a seleção brasileira masculina sem defesa e argumento.

Supostamente disputando o torneio, o BRASIL não só treinaria, maior objetivo da comissão técnica, como certamente facilitaria ou dificultaria a vida de algumas seleções escalando reservas ou titulares dependendo da ocasião.

A manipulação de resultados da seleção ainda repercute negativamente. A imagem é ruim.

brasil-bulgaria-fivb
Os critérios usados pela FIVB são absolutamente iguais. Não mudaram e não mudarão.

Não existe sentido algum o BRASIL, classificado para a Olimpíada, jogar a Copa do Mundo.

Não é o vôlei. Não é a FIVB.

A FIFA age da mesma forma ou alguém esquece que a seleção brasileira não disputou as eliminatórias para a Copa de 2014?

Foi assim com a Alemanha em 2006 e a África do Sul em 2010.

A Copa do Mundo de 2019 será disputada no Japão e não valerá vagas para os Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020, já que o Japão, como país-sede está classificado para os Jogos Olímpicos, ou seja, exatamente como o BRASIL em 2016.

O pior cego não é aquele que não vê, e sim aquele que finge que não enxerga.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: