Xô marmelada!

Xô marmelada!

Bruno Voloch

21 Outubro 2016 | 12h36

Admito que tinha lá minhas dúvidas. O passado, com participação do BRASIL, é e será por um bom tempo uma lembrança amarga na memória.

Cruzeiro e Zenit Kazan entraram em quadra classificados para a fase semifinal do mundial de clubes. Situação que poderia sugerir o famoso ‘jogo de compadres’.

A posição na tabela indicava um simples ‘amistoso’. Felizmente o que se viu foi justamente o contrário.

ZenitKazansWilfredoLeonspikespasttheblock

Cruzeiro e Zenit jogaram pra valer. Ninguém se poupou. Atitude que engrandece a competição e os envolvidos. Respeito com a mídia, torcedores, organizadores, patrocinadores e eles próprios. Se por acaso um ou outro jogador deixou de dar 100% representou muito bem.

A vitória do Cruzeiro por 3 a 1 apenas garante ao time brasileiro o direito de enfrentar os argentinos na semifinal. Em tese um caminho mais tranquilo até a decisão. E só.

O Zenit pega o tradicional e sempre perigoso Trentino, da Itália.

Só um grande desastre tira o BRASIL da final.

No caso dos russos a parada é mais indigesta. Pelo que o time mostrou contra o Cruzeiro e pelo que o Trentino jogou até aqui é improvável que o Zenit deixe de ter a revanche na decisão.

Ruim para o Cruzeiro e bom para o campeonato.