Grandes ídolos – Del Debbio

Estadão

22 de fevereiro de 2010 | 12h34

Campeão como jogador e treinador, Armando Del Debbio (1904-1984) ostenta marcas expressivas pelo Corinthians, clube que começou a defender em 1922.

Eis algumas delas: é o recordista de títulos paulistas com a camisa alvinegra, com oito (1922, 23, 24, 28, 29, 30, 37 e 39). Como técnico, foi bicampeão estadual em 1938 (dando continuidade ao trabalho de Neco e Antônio Pereira) e 1939 e ganhou também o título de 1941. Ele ainda comandou o time alvinegro em outras duas ocasiões, em 1947 e 1963.

Na galeria de conquistas, chama a atenção o título de 1939, pelo simples motivo de que Del Debbio já havia encerrado a carreira de jogador profissional. Prestes a completar 35 anos, ele era o treinador do Corinthians, mas precisou completar o elenco na final, contra o Ypiranga (2 a 1, em 22 de outubro de 1939).

Reza a lenda que Del Debbio jamais jogou mal uma partida. E não foram poucas: 215. Formou aquele que é considerado até hoje o mais temido trio defensivo da história do clube: Del Debbio e Grané na zaga e Tuffy no gol. Titular desde a campanha do título paulista de 1922 (centenário da Independência), só perdeu seu posto quando se transferiu para a Lazio, da Itália, em 1931.

Pela seleção brasileira, ainda na era amadora do futebol do País, disputou a primeira Copa, em 1930, no Uruguai.

Texto publicado no ‘Jornal da Tarde’ de 14/1/2010, em caderno especial

Tudo o que sabemos sobre:

del debbio

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.