O adeus ao ‘Sangue Azul’, Idário

Estadão

18 de setembro de 2009 | 12h13

 Um dos símbolos da raça do Corinthians em campo, apelidado de “Sangue Azul” pela dedicação ao time (abreviado para ‘Sangre’ – em referência à sua ascendência espanhola – nos alambrados). Assim era Idário Sanches Peinado, ou simplesmente Idário, morto em Santos (SP), onde morava, nesta sexta-feira, 18 de setembro, aos 82 anos, vítima de problemas respiratórios.

Idário jogou no Corinthians de 1949 a 1959. Fez 475 jogos e marcou seis gols (tem ainda três gols contra na conta). Era lateral-direito, que na época tinha uma função bem mais defensiva. Valente, era considerado violento pelos rivais, mas adorado pelo torcedores do time alvinegro, segundo relatos dos jornais da época. Ganhou seis títulos no Corinthians (Paulistão em 1951/52 e 54 e Rio-São Paulo em 1950 e 53/54) e encerrou sua carreira no Nacional, da capital, para onde foi após brigar com o técnico Sylvio Pirillo.

Foi um dos responsáveis por imortalizar a imagem da raça em relação ao Corinthians. É mais um que se vai para tornar ainda mais forte o time lá de cima.

Tudo o que sabemos sobre:

Idário

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.