Os argentinos que vestiram a camisa alvinegra

Estadão

25 de setembro de 2009 | 18h15

JF Diório/AE - 6/11/2005

JF Diório/AE - 6/11/2005

“És do Brasil, o clube mais brasileiro”. Esta frase, trecho do hino do Corinthians, composto em 1952 por Lauro D’Ávila, jamais evitou que jogadores de outros países brilhassem com a camisa alvinegra. Exemplos disso são o zagueiro paraguaio Gamarra e o meia colombiano Freddy Rincón, ídolos da torcida nos últimos anos do século passado. O jogador da Colômbia até levantou a taça do título mundial em 2000, conquista mais importante da história do clube.

No entanto, o que mais tem agradado a fanática massa corintiana nas recentes temporadas é a raça argentina. Já contando com a chegada do jovem Defederico, foram nove ‘hermanos’ que chegaram ao Parque São Jorge nos últimos 10 anos. Alguns deles viraram ídolos e jamais serão esquecidos.

Voltando um pouco mais ao passado, o primeiro argentino a atuar pelo Corinthians foi o goleiro Buttice. Ele estava em campo na trágica decisão do Campeonato Paulista de 1974, quando o time alvinegro já amargava uma fila de 20 anos sem conquistas e foi derrotado na final justamente pelo arquirrival Palmeiras, por 1 a 0 no Morumbi.

Depois veio Hector Veira, em 1976. Bambino Veira, como era chamado, chegou com status de estrela, mas teve pouco espaço na equipe e foi embora do Brasil em 1977.

Após mais de 23 anos, o Corinthians voltou a ter um argentino. Em 2000, após o título mundial, contratou o zagueiro Ávalos, que não deixou saudades. Ficou conhecido por seu estilo atabalhoado e excessivamente violento. Saiu pela porta dos fundos em 2001.

E foi no ano de 2005 que a torcida corintiana definitivamente se apaixonou pelo futebol do país vizinho, com a chegada do atacante Carlitos Tevez, contratado pela ex-parceira MSI. No pacote, também vieram o volante Mascherano e o zagueiro Sebastian Dominguez, que pouco jogaram com a camisa do time paulista.

Antes de ir brilhar na Europa e se tornar um dos principais jogadores da seleção da Argentina, Tevez fez a alegria dos corintianos. No Campeonato Brasileiro de 2005, foi o melhor atleta da competição na campanha que deu ao Corinthians seu quarto título na história do torneio.

Em 2008, um argentino sem muita técnica, mas muito raçudo, também virou xodó no clube. Herrera foi uma das estrelas da equipe na campanha do título da Série B do Campeonato Brasileiro, que recolocou de forma incontestável o Corinthians na elite do futebol nacional.

Em 2009, chegou o zagueiro Escudero, que sofreu uma grave lesão e até agora não pôde mostrar ao que veio. Defederico ainda não estreou, mas já é visto com grande esperança pelos torcedores. O sonho de ter Riquelme não existe mais, ele já decidiu que fica no Boca Juniors. Uma pena, afinal seria interessante ver a possibilidade de mais um craque argentino vir brilhar no futebol brasileiro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.