As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Desespero colorado

Cesar Sacheto

22 de novembro de 2016 | 15h32

O discurso do presidente do Internacional após a derrota da equipe gaúcha para o Corinthians foi muito agressivo e até mesmo perigoso. Vitorio Piffero enfatizou que o time foi “garfado” e, ao falar da próxima partida – contra o Cruzeiro, no Beira-Rio – “não vai ter árbitro que faça o que esse aí fez”, se referindo à atuação de Rodolpho Toski Marques na partida desta segunda-feira (21), em Itaquera.

A declaração merece uma investigação por parte do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), pois pode ser interpretada como incitação à violência. Afinal, a torcida colorada está desesperada pela probabilidade do descenso e parte dela já se manifestou de forma agressiva nos últimos dias. Vale lembrar também que o sr. Piffero se esqueceu de falar nessa mesma entrevista sobre a própria incompetência neste ano. Dirigido por ele, o Inter demitiu três técnicos durante o Brasileirão e perdeu 17 dos 36 jogos disputados até aqui. Foram apenas 39 pontos obtidos de 108 disputados. Ou seja, o rebaixamento, caso se confirme, não deve ser creditado ao pênalti bisonhamente marcado na derrota para o Timão por 1 a 0.

Dirigentes, jogadores e técnicos precisam ter cuidado ao fazer declarações públicas. O futebol é movido pela paixão uma frase equivocada pode provocar um desastre.

Por favor, parem fazer discursos para a torcida e assumam a responsabilidade pelos seus atos!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.