A minha baladinha do sábado
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A minha baladinha do sábado

Alessandro Lucchetti

27 de setembro de 2013 | 18h51

Levarei minhas passadas em ritmo cadenciado para a Cidade Universitária, neste sábado à noite, para a Fila Night Race. Apesar de correr de forma um pouco mais séria desde 2006, nunca corri em uma prova noturna.

Na hora da prova (20h), costumo vivenciar outro tipo de correria – a do fechamento aqui do jornal.
Assim como as edições anteriores da prova, a próxima edição da Fila Night Race já está com as inscrições esgotadas.

As provas noturnas fazem sucesso – o povo baladeiro pode aproveitar a euforia proporcionada pela serotonina e dar uma esticada pela night propriamente dita. São uma excelente alternativa para quem não curte acordar cedo no domingo pela manhã. Eu já tô fora dessa há uns tempos. A ordem, para mim, é ler mais um capítulo do meu livro de cabeceira e ter uma boa e reparadora noite de sono – o dia seguinte será de passeios com meu filho Angelito, e tenho que estar disposto.

O treinador Miguel Sarkis, ouvido pelo site da Fila, recomenda que se treine nesse horário para obter um melhor rendimento. Como não pude fazer isso, estarei lá para curtir as luzes e as músicas, que tornam a prova diferente.

A Fila montará um estande com os novos modelos da Plataforma Kenya – um mix de produtos inspirados nos corredores quenianos do Fila Running Team. No Brasil, eles são treinados pelo cabereca (misto de cabeludo com careca) treinador Coquinho.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: