Recorde da maratona não deve ser validado
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Recorde da maratona não deve ser validado

andreavelar

18 de abril de 2011 | 15h25

Brian Snyder/Reuters

A maratona tem um novo recordista, mas seu tempo pode não ser validado. O queniano Geoffrey Mutai cravou nesta segunda-feira 2h03min02, 0min57 mais rápido que a marca do etíope Haile Gebrselassie. O problema é que os 42 quilômetros foram percorridos em Boston e a Iaaf (Associação Internacional das Federações de Atletismo) não entende o trajeto como um dos elegíveis para a quebra de recorde.

Essa prova nos Estados Unidos, diferente da Maratona de Boston que faz parte do circuito de Maiores Maratonas do Mundo, passa por subidas e descidas a mais em relação as outras provas. Vantagens e desvantagens também causadas pelas rajadas de vento no local.

Além disso, o percurso não tem o ponto de chegada e de largada a uma distância inferior à metade do trajeto total. Isso, no caso, muda a altimetria da prova.

Tanto a Iaaf quanto a USA Track&Field não costumam a reconhecer marcas em provas não referendadas. Elas ainda promete analisar a questão.

Fato é Mutai superou uma marca de uma lenda do esporte e que havia sido conquistada em 2008, em Berlim. Já no final da prova, o queniano travou uma disputa calcanhar a calcanhar com seu compatriota Moses Mosop para completar a prova.

Tendências: