5 Dicas para identificar a hipotermia

5 Dicas para identificar a hipotermia

Em maio, 21 ultramaratonistas morreram de hipotermia em uma prova na China

SILVIA HERRERA

04 de julho de 2021 | 10h44

A Huanghe Shilin Mountain Marathon, mas conhecida por Ultramaratona de Gansu (China),  realizada em 22 de maio, deixou o mundo estarrecido. A largada aconteceu com sol e a maioria dos 172 participantes correu para as montanhas da  Floresta Yellow River, parte do percurso dos 100 km, trajando bermuda e camiseta. No entanto, ao meio dia o tempo virou radicalmente, começou uma ventania de 100km/h com chuva de granizo, e a temperatura despencou drasticamente para -5ºC, o que provocou a morte  de 21 participantes por hipotermia, todos que lideravam a corrida. Por conta deste fato, o governo Chinês suspendeu todas as ultramaratonas no país e penalizou 17 pessoas da organização da prova.

Luo Jing foi precavida e sobreviveu a tragédia na China

A largada foi às 9h, com sol brilhando e 7 ºC, a uma altitude de 1.595 metros. O trajeto era rumo ao  cume da montanha (posto 3)  2.230 metros acima.  Segundo a organização, às 10h30 entrou uma frente fria, vinda da Mongólia. Os corredores estavam passando entre os postos 1 e 2, quando a temperatura baixou para 3ºC. Ao meio dia, quase chegando ao cume, a temperatura caiu para -5 ºC.  Os atletas mandaram o primeiro pedido de socorro às 12h17, não obtiveram resposta.  Muitos se perderam na neblina, e os cobertores se rasgaram com o vento nas rochas. A equipe de resgate da prova conseguiu salvar 11 corredores, últimos colocados, e guiá-los a abrigos nas montanhas. Os 700 bombeiros do resgate só conseguiram chegar ao local às 19h. Morreram 18 homens e três mulheres, que eram os líderes da prova. Outros oito se lesionaram e mais 30 estavam desacordados. Todos com hipotermia. Entre os mortos estava Liang Jing, recordista chinês das ultramaratonas. Ele havia se abrigado em uma caverna com outros quatro corredores, só um deles sobreviveu. Também morreu o campeão paralímpico Huang Ganjun (maratona), ele era surdo e mudo. Foi a quarta edição dessa ultramaratona, a primeira por essa montanha, em um trajeto bem técnico, com mais de mil metros de elevação e com alguns pontos de escalada.

Um dos sobreviventes, o ultramaratonista Wang Jin-ming, 42 anos, foi levado ao hospital. Ele contou que demorou mais de 20 minutos só para conseguir abrir seu cobertor no alto da montanha por causa do vento, e que cansou de apertar o botão de socorro do GPS, dado pela organização. Ele não sentia os pés ou  mãos e decidiu se manter ativo, rastejando-se, para manter a temperatura corporal e não ter hipotermia. No entanto, acabou desmaiando e acordou no hospital. Boa parte dos corredores tinha despachado os agasalhos para o posto 6, onde chegariam no final da tarde, mas não passaram do 3. Os mais lentos da corrida, cerca de 40 pessoas, foram abrigados por moradores locais. Já a  alpinista Luo Jing foi uma das poucas a levar consigo roupas de frio e por isso conseguiu escapar da tragédia. Ela chegou a gravar um vídeo para tranquilizar sua família (foto acima). Para ela, a ultramaratona de montanha é igual escalada, você tem que estar preparado para tudo e pode contar com a ajuda de ninguém.

A triatleta e médica do Esporte Rafaella Sinisgalli, do time de profissionais da Care Club em São Paulo e preceptora do Ambulatório de Nutrologia e Performance da UNIFESP, explica que  esse percurso contava com desfiladeiros e colinas, em uma região a mais de mil metros de altitude. Ela explica que a hipotermia acontece quando há uma queda acentuada da temperatura corporal, que cai para menos de 35º C, e geralmente é causada pelo frio intenso, diminuindo a frequência cardíaca, o que pode causar até a parada cardíaca e levar à morte.

Dra Rafaella Sinisgalli atua na Care Club, unidade Parque do Povo

Rafaela afirma que a hipotermia é uma condição extremamente grave e é fundamental que seja identificada o mais precocemente possível (veja abaixo). Se você pretende correr em alguma trilha no frio neste inverno é melhor se prevenir. A boa notícia é que há algumas medidas simples que podem ser tomadas afim de evitar a hipotermia durante a atividade física ao ar livre. “Atentar-se a previsão do tempo, utilizar vestimentas adequadas ao clima, principalmente em extremidades como mãos, pés e rosto; evitar usar roupas molhadas, realizar um bom aquecimento antes de iniciar a prática esportiva e manter-se bem hidratado, mesmo que aparentemente se produza pouco suor”, ensina a médica.

Como identificar a hipotermia, dicas de Rafaella Sinisgalli:

1 – frio intenso
2 – tremor
3 – queda de rendimento e de coordenação motora
4 – confusão mental, alucinações, sonolência
5 – arritmias cardíacas, principalmente a diminuição da frequência cardíaca, o que pode causar até a parada cardíaca e morte.

Tudo o que sabemos sobre:

Ultramaratonahipotermia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.