Ciência comprova a eficácia do uso de máscara

Ciência comprova a eficácia do uso de máscara

A mais eficaz é a PFF2

SILVIA HERRERA

09 de junho de 2021 | 16h07

Toda vez que vou treinar na rua volto triste. A maioria dos corredores que encontro pelo caminho está sem máscara, ou com ela na mão, no bolso ou no queixo. Aos domingos na ciclovia da Marginal Pinheiros, os bikers estão todos uniformizados e com bicicletas caríssimas, mas sem máscaras. Essa “desobediência” não combina como estilo de vida saudável. É necessário se adaptar. O problema não é ter ou não “medo” de pegar a Covid-19. A questão é ter responsabilidade que sem esta proteção seu corpo saudável pode se tornar o habitat perfeito para que o vírus se aprimore, criando novas mutações ainda mais perigosas dentro de você. Parece óbvia a eficácia das máscaras, mas os cientistas resolveram se debruçar sobre o tema e detalharam como isso funciona.

Gráfico mostra a eficácia das máscaras

Oito cientistas assinam o estudo “Face masks effectively limit the probability of SARS-COV-2 transmission”, publicado na Science, em 20 de maio de 2021, e liderado pela dra Yafang Cheng, do Max Planck Institute for Chemistry, na Alemanha.  Clique aqui para ler o artigo. Resumindo, testaram vários tipos de máscaras e chegaram a conclusão de que todas protegem um pouco, se usadas corretamente. Locais fechados, incluindo hospitais, requerem recursos adicionais. As máscaras protegem de duas maneiras: reduzem a exalação e a inalação de aerossóis contendo vírus. E em combinação com o isolamento físico e a ventilação constituem uma forma forte de proteção. Testaram em pessoas com o vírus e sadias.

As máscaras mais seguras, segundo o estudo, são a PFF2 e a N95 – com uma taxa de transmissão de menos de 5%. Todos os outros modelos, aqui não entram as “caseiras”,  variam entre 30% a 70%. Desenvolveram uma equação para comprovar isso. Ou seja, se você for treinar em um ambiente fechado ou com aglomeração recorra a uma PFF2. Se for treinar em ambientes abertos com aglomeração mesma regra. Para ambientes abertos com pouca circulação de pessoas use as máscaras esportivas. Os cientistas descobriram analisando dados de centros médicos em Cingapura, China e EUA, que uma pessoa normal emite, em média,  3×10partículas a cada meia hora, mas os vírus correspondem a uma parcela mínima desse total, e a Covid-19 ainda menor; e que as máscaras são eficientes como uma barreira forte para a transmissão.

Emissão de partículas de ar e com vírus

Fica aqui minha humilde dica, na verdade, um pedido: se for sair de casa use máscara.

Tudo o que sabemos sobre:

máscarapesquisa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.