Corra do Alzheimer

Corra do Alzheimer

SILVIA HERRERA

16 Dezembro 2017 | 10h10

Essa doença progressiva que destrói a memória é o pesadelo de muitos. O psicólogo e corredor amador Augusto Jimenez sugere cinco mudanças na rotina que podem prevenir esse mal. #corridaderua #BlogCorridaParaTodos #alzheimer

Minha mãe foi diagnosticada com Mal de Alzhemeir aos 62 anos. Foi muito triste acompanhar o desenrolar dessa doença. Ela fez a passagem vinte anos depois. Desde então me mantenho atualizada sobre tudo que sai sobre esse assunto e torço para que a cura chegue em breve. O Alzheimer causa a morte das células nervosas e perda de tecido em todo o cérebro. Com o passar do tempo, o cérebro encolhe muito, o que afeta quase todas as suas funções.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Hospital Geral de Massachusetts e a Escola de Medicina de Harvard, publicada no Neurology, estimular o cérebro não evita o Alzheimer, mas retarda os sintomas. Pensando nisso, Augusto (foto abaixo), que é CEO da rede Minds Idiomas, implantou neste ano novas técnicas de aprendizado nas turmas com idade avançada. “Treinamos os professores para ensinar inglês para as pessoas que têm acima de 60 anos com técnicas como dança-terapia e Mindfulness. Assim, os alunos (as) aprendem uma nova língua de forma mais orgânica e estimulam a mente. Reduzindo, dessa forma, a chance de desenvolver o Alzheimer“, explica Augusto.

A velocidade de progressão da doença varia muito. As pessoas com Alzheimer vivem, em média, oito anos, mas  podem sobreviver por até 20 anos. O curso da doença depende, em parte, da idade da pessoa quando a doença foi diagnosticada e se possui outros problemas de saúde. Conforme a doença, os indivíduos podem passar por alterações na personalidade e no comportamento e apresentar dificuldades para reconhecer amigos e familiares.

Augusto começou a correr para perder peso e ganhar qualidade de vida. Nunca foi sedentário, praticava natação e vôlei. Além disso ele faz musculação e sempre bebe muita água. Sua agenda é bem extensa para dar conta dos compromissos com a Minds, mas sempre que possível ele gosta de participar da 10 Milhas da Garoto, em Vitória (ES).  Aos 44 anos, ele estuda muito e acredita que aprender um novo idioma sempre faz bem muito bem ao cérebro. Por isso ele está sempre em busca de melhores metodologias para todos os tipos de idades. “Não é só inglês, é vida”, argumenta.

 

Mesmo não tendo casos de Alzheimer na família ele pesquisa muito esse tema e tenta se precaver e ajudar quem quer fazer o mesmo. “Correr, ler e beber água já ajuda bastante na prevenção desse mal”, conta. Augusto. Confira abaixo as dicas levantadas por ele para manter a mente em forma e ter uma chance menor de desenvolver demências.

5 Dicas para se precaver do Alzheimer

 

Monte quebra-cabeças
Um estudo publicado na revista Archives of Neurology mostrou que quem tem o hábito de montar quebra-cabeças têm menos presença da beta-amilóide em seus cérebros, proteína responsável pelo Mal de Alzheimer.

Beba 2 litros de água
Essa dica parece a mais óbvia, porém a mais difícil de manter. Quando o indivíduo atinge os 60 anos têm pouco mais de 50% de água no corpo. É preciso se hidratar e essa situação se agrava porque mesmo desidratados, as pessoas podem não sentir vontade de beber água. Isso acontece porque os mecanismos internos podem não funcionar muito bem e por isso é preciso incorporar o hábito. Sem líquido, as capacidades cognitivas ficam comprometidas e pode potencializar o desenvolvimento de doenças, entre elas o Alzheimer.

Aprenda algo novo todos os dias
A reserva cognitiva é infinita e estudos mostram que mesmo uma mente já com Alzheimer pode continuar funcionando devido aos conhecimentos adquiridos no decorrer da vida. Por isso, aprenda algo novo todos os dias. Vale cozinhar, palavras – cruzadas, ler ou\e aprender uma nova língua.

Deixe o medo de lado: faça os testes de Alzheimer
Outra dica que parece óbvia, porém que poucos praticam é ir ao médico e pedir os

Documento

de compatibilidade da doença. O diagnóstico pode ser feito de forma simples por meio de testes não invasivos e de fácil execução. Dezoito anos antes dos primeiros sintomas é possível descobrir se vai contrair o Alzheimer. Por isso, deixar o medo de lado e se prevenir é o melhor caminho.

Coma peixe, verduras e beba uma taça de vinho
O ômega 3 do peixe ajuda a prevenir a doença, verduras folhosas como o espinafre e o vinho podem retardar a perda da memória. Tornar o consumo desses alimentos e bebida, em porções pequenas, mas diárias, pode rejuvenescer a idade cognitiva de uma pessoa em até cinco anos. Se alimente com itens saudáveis!

Mais conteúdo sobre:

corrida de ruaalzheimer