Corredoras fazem lojinha virtual para ajudar a ONG Social Skate

Corredoras fazem lojinha virtual para ajudar a ONG Social Skate

Seu tênis pode se transformar em uma cesta básica. Veja como

SILVIA HERRERA

01 de abril de 2020 | 08h57

Sabe aquele tênis de corrida que está lá esquecido no seu armário? Ele pode virar uma cesta básica e alimentar uma família. Pensando nisso, um grupo de corredoras se uniu e neste fim de semana criou uma lojinha virtual: bazar do corre. Nela é possível doar e comprar calçados e vestuário esportivo seminovos e novos e 100% da receita será destinada a ONG Social Skate, situada em Poá, município da Grande São Paulo, que é dirigida por Sandro Testinha, que atende crianças de áreas de risco e vulnerabilidade.

A Social Skate atende crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade

Eu mesma já doei três pares. E há até Vaporfly lá para comprar. Os preços são arrasadores e os doadores estão caprichando nos produtos. Bem que alguma marca poderia fazer uma parceria do tipo: a cada tênis vendido na loja virtual a marca doaria uma cesta básica para os vicentinos, ou alguma pastoral, todas devem estar precisando. Ou fazer máscaras para os hospitais, com a New Balance e a Under Armour estão fazendo nos EUA. A impressão que dá é que as marcas esportivas no Brasil tiraram férias coletivas.

Mas voltando ao tema central. A meta inicial da lojinha é atingir R$ 10 mil para comprar 200 cestas básicas com alimentos, frutas, água mais produtos de higiene. Em dois dias conseguiram mais de R$ 2 mil e devem bater a meta com a sua ajuda.

Esta é a segunda ação do grupo, que iniciou as ações assim que a quarentena começou no Estado de São Paulo, e os ambulantes, diaristas e todos os que vivem de bicos ficaram sem trabalhar de uma hora para outra. A primeira, que ainda está em curso, é a campanha SOS Capão Redondo, em parceria com a ONG Vida Corrida, capitaneada por Neide Santos. Falamos desta ação semana passada.

ONG Vida Corrida já recebeu 500 cestas básicas

Nesse cenário inédito com a pandemia do coronavírus batendo à porta, a demora dos governos em ajudar a população carente deixou a classe média perplexa, talvez angustiada  seja a melhor palavra. Angústia provocada pelo desalento das classes menos favorecidas que têm  que enfrentar a pandemia sem produtos de limpeza e com fome. E essa angústia tem motivado ações nobres como esta das corredoras paulistanas, liderada por Paula Narvaez.

Até o momento, com o dinheiro arrecadado na vaquinha, já foram distribuídas 500 cestas básicas e mais o dobro deverá ser entregue em breve a ONG Vida Corrida. Cerca de 600 pessoas ajudaram com quase R$ 70 mil, no total. E a vaquinha vai continuar até a pandemia passar. A meta é R$ 150 mil para começar a ajudar mais projetos sociais. Se puder, ajude, pode ser qualquer valor: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/sos-capao-redondo-contra-o-coronavirus

@BAZARDOCORRE

Como eu compro?
É só olhar no site: bazardocorre , escolher seu produto e comprar.

Existem outras numerações, cores, modelos dos produtos ali da vitrine?
Não. O produto vendido é exatamente aquele que está na imagem.

Como eu pago?
No próprio site  com cartão de crédito ou Pag Seguro.

Como eu recebo o produto?
Enviamos para SP e Grande SP com frete grátis. Mas se você for de fora, pode optar por PAC ou Sedex.

Como faço para doar produtos?
Entre em contato via Instagram com o @don.amorim que vai te ajudar com as informações.

Como faço para doar dinheiro?
Se quiser doar dinheiro, pode ajudar com a Vaquinha do Projeto Vida Corrida https://www.vakinha.com.br/vaquinha/sos-capao-redondo-contra-o-coronavirus ;

Como faço para doar mantimentos, produtos de higiene e limpeza ou outros itens?

Entre em contato com Paula Narvaez, via Instagram: @correpaula

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.