Maratona da Cidade do Rio de Janeiro em 20 passos

Maratona da Cidade do Rio de Janeiro em 20 passos

SILVIA HERRERA

04 de junho de 2017 | 16h57

Se você é um dos 33 mil inscritos confira as dicas para “chegar” inteiro na 15ª edição da 42k mais concorrida do Brasil. A largada é dia 18 de junho a partir das 6h30 e as inscrições estão esgotadas desde agosto. Restam apenas algumas inscrições, a R$ 100, para a Family Run (6k).

Segundo dados da assessoria de imprensa da prova, os corredores dão nota 9 para esta maratona e 40% deles correm esta prova mais de uma vez. Vão correr os 42.195m 11.500 atletas, que largam no Recreio dos Bandeirantes, na Praça do Pontal do Tim Maia, rumo ao Aterro do Flamengo. Na meia maratona estão inscritos 13.500 atletas, que largam mais cedo, a partir das 6h25 na Barra da Tijuca, na Avenida do Pepe nº 500, logo após o Batalhão dos Bombeiros. Eles vão correr 21.097 m em direção também ao Aterro. E a Family Run dá uma volta de 6km no Aterro, com largada e chegada entre as ruas Barão do Flamengo e Almirante Tamandaré, às 8h, são esperados 8 mil corredores. A prova tem a chancela da CBAT (Confederação Brasileira de Atletismo) e da IAFF (Federação Internacional de Atletismo). Nas três distâncias largam primeiro os cadeirantes, atletas com deficientes, elite feminina, elite masculina e geral. O número máximo de corredores de elite (profissionais) é restrito a cem no masculino e cem no feminino.

Para quem gosta de tempos, para ser da elite o corredor deve fazer a maratona sub 2:20 e a corredora, 2:48.

Participei em 2015, corri a meia (21k), e amei a experiência. A retirada do kit é tranquila, o horário e o local da largada são excelentes – bem cedo, a infra durante a prova funciona, o cenário realmente é motivador e os cariocas tão aquele apoio moral a partir do Leblon. E a área de dispersão é ótima para dar aquela esticada no colchonete no pós-prova.  E foi em 2015 que Willy Kangogo Kimutai, único bicampeão da prova, bateu o recorde da Maratona do Rio em 2:14:56. No ano passado deu Quênia no masculino (Elijah Kemboi – 2:17:09) e no feminino (Priscila Lorchima – 2:41:23).

“A Maratona do Rio não dura só um dia. Já estamos totalmente envolvidos na complexa operação, tudo para que os 15 anos da Maratona do Rio marquem a cidade e cada um de seus participantes. Sem dúvida, queremos fazer um evento inesquecível para os milhares de corredores do Brasil e do exterior e também para os cariocas que abraçam a competição. Teremos novidades ainda mais especiais em 2017. A intenção de fazer uma edição memorável é tanta que logo após o encerramento da edição de 2016 a organização começou a trabalhar cada detalhe para esta edição”, conta João Traven, sócio-diretor da Spiridon Eventos. Empresa responsável pela organização do evento.

Confira abaixo as dicas da assessoria Run&Fun e do Time de Especialistas da Maratona CAIXA da Cidade do Rio de Janeiro, formado por Dr. Paulo Lourega (diretor Médico da Maratona do Rio desde 1987), Dra. Fabíula Schwartz (cardiologista e diretora da Sociedade de Medicina do Exercício e do Esporte do Rio de Janeiro), Roberta Lima (nutricionista do esporte com mais de 10 anos de experiência no esporte de alto rendimento), Vanessa Protázio (psicóloga, Especialista em Coach e corredora) e o Dr. Sérgio Maurício (ortopedista formado pela UFRJ, especialista em cirurgia de joelho).

Primeiro Passo – exames médicos em dia: não subestime a necessidade da avaliação médica. Procure um médico capacitado em avaliação cardiológica pré-participação esportiva e corra tranquilo. Fique esperto, os problemas cardíacos são responsáveis por mais de 90% das mortes súbitas durante o exercício físico! Se você responder sim a uma dessas perguntas procure um médico antes da corrida, ainda dá tempo (Você tem mais de 35 anos? Tem algum familiar com histórico de cardiopatia ou morte súbita? Tem algum problema de saúde ou doença crônica? Você sente ou já sentiu tonteira, dor no peito ou desmaiou? Você sente algum outro sintoma?) Durante a corrida ouça os sinais do seu corpo, qualquer coisa, pare e procure uma das pessoas do staff. São 250 profissionais da saúde – entre médicos, enfermeiros, técnicos, fisioterapeutas, socorristas, farmacêuticos, auxiliares, massoterapeutas e motociclistas socorristas.

Passo 2 – Alimentação antes da prova: o ideal é se consultar com o nutricionista três meses antes da corrida para que ele trace uma alimentação adequada e individualizada. O combustível preferencial durante a atividade física é o carboidrato (pão, geleias, mel, massas, arroz, batata, aipim, inhame, milho, aveia, frutas, sucos e etc.), que é armazenado no corpo na forma de glicogênio. Atletas que iniciam a prova com maior estoque de glicogênio muscular conseguem percorrer maiores distâncias, logo, em provas de longa duração, é muito importante ter atenção ao consumo de carboidratos. Sete dias antes da maratona, reduza o consumo de carboidratos e a três dias antes da largada aumente o consumo (70-80% de carboidratos). Nas 72 horas antecedentes à competição, deve-se aumentar o consumo de carboidratos – 10 a 12g/Kg de Peso Corporal e realizar treinos mais leves. Para entender isso de forma mais prática, um atleta de 65Kg precisará de 650 – 780g de carboidratos.

Passo 3 – Retirada do Kit:  são esperadas mais de 40 mil pessoas no Centro de Convenções Sul América nos dias 15 (10h às 19h), 16 (10h às 20h) e 17 (8h às 17h). Vá com tempo para conferir as promoções e novidades mais de 25 expositores com novidades do mercado de running e fitness, também haverá palestras e workshops – grátis. Endereço: Av. Paulo de Frontin, nº 1, na Cidade Nova, centro do Rio, próximo das estações de metrô Cidade Nova (linha 2) e Estácio (linha 1). Se outra pessoa for retira o kit para você é necessário apresentar uma cópia do seu documento de identidade com foto, o comprovante de inscrição, e o Termo de Responsabilidade preenchido e assinado por você, autorizando a retirada por terceiros. Esta autorização está inserida no final do documento de Responsabilidade.

Passo 4 – Véspera da maratona: beba bastante líquido (sobretudo nas últimas 24 horas); procure consumir uma massa, evitando as recheadas como ravióli ou lasanhas; evite molhos alimentos muito gordurosos; não exagere na quantidade de queijo ralado; consuma suco de fruta e/ou fruta de sobremesa. Se desejar consumir carne, consuma carne magra, sem gordura aparente e preparada com o mínimo de gordura possível (grelhada /assada).

Passo 5 – Hora de dormir: se programe para dormir no mínimo oito horas, separe a roupa da corrida e o tênis. Utilize um tênis confortável, o qual já esteja acostumado e roupas leves (camiseta regata ou manga curta e shorts). Não use tênis novo. Verifique seu número de peito e chip, pois estes são sua garantia de classificação. Já coloque o peitoral na camiseta e o chip no cadarço do tênis. Eu já esqueci chip descartável em casa…

Passo 6 – Café da manhã: não vá correr de jejum. Se organize para tomar o café da manhã duas horas antes da largada. Coma pães (pobres em gordura), queijos magros, iogurtes magros, frutas (evite a banana nanica), sucos de frutas, mel, geleia e cereais. Não consumir alimentos integrais. Não consumir alimentos ricos em gordura (ovo, salsicha, croissant, requeijão, presunto, queijos gordos. Não consumir leite e achocolatado (a menos que esteja habituado). Evitar qualquer alimento que não esteja habituado. Comer moderadamente. A 45 minutos antes da largada: consumir cerca de 350 ml de isotônico ou 1 gel de carboidrato + 300 ml de água. Lembre-se de passar protetor solar no rosto e vaselina nas regiões de maior atrito (axila, mamilos, virilha).

Passo 7 –  Transporte até a largada: ou vá de táxi (Uber ou afins) ou utilize o transporte da organização (comprado no ato da inscrição ou na retirada do kit.  São 250 ônibus. Local de embarque: Aterro do Flamengo próximo à praça Cuauhtémoque, entre as ruas Cruz de Lima e Tucumã. Destino Maratona (saída a partir das 5h, de cinco em cinco minutos até às 5h40); Destino Meia Maratona (a partir das 4h45 em intervalos de cinco minutos, até às 5h15). Eu prefiro sempre ir de táxi. Como o guarda-volumes é um ônibus e a organização não se responsabiliza por objetos de valor, corra com um dinheirinho e o gel no bolso – e só.

Passo 8 – Hidratação durante a prova: você já viu um queniano correndo com cinto de hidratação? Nem eu rsrsr. São 14 postos de hidratação com água, um a cada 3km; e mais na área de concentração e na dispersão e mais sete com isotônico no trajeto, mais um na chegada. São 558 mil copos de água, o que dá 16 copos para cada inscrito. Mais 150 mil sachês de isotônico (4 para cada pessoa). Não deixe de pegar água nos postos, o ideal é beber 200ml a cada 40 minutos, mais uma fonte de carboidrato a cada meia hora – o famoso gelzinho no bolso. Mas não invente moda de experimentar laranja, batata, mariola, goiabada durante a maratona, só faça o que já testou nos treinos. Uma vez comi uma mexerica numa maratona e quebrei logo depois…

Passo 9 – Largada: concentre-se no seu ritmo e estratégia de prova. “Sem dúvida, a largada é um dos momentos mais marcantes dos 42,195km da Maratona do Rio. É aquele momento que você respira fundo, não pensa em nada e pensa em tudo ao mesmo tempo. É aquela hora que você se vê rodeado de gente, com o mesmo objetivo que o seu. Passa um filme na cabeça, você pensa em todos os treinos, pensa no trajeto da prova, reza, respira, transpira e agradece! É um momento único que só um maratonista entende o real significado”. Ana Luiza Real é jornalista e responsável pelo Instagram ‘Casei com atleta’. Sua primeira prova de 42km foi a Maratona do Rio 2016.

Passo 10 – Primeiro Posto de Hidratação – KM 3 (Praia do Recreio) – evite correr em ritmo muito forte no início da prova poupando emergia para o final. “Ali, no começo da prova, você meio que está sozinho, sem muita gente assistindo, e começa a conversar com você mesmo. É um momento de meditação”. Sirlene de Souza Pinho foi campeã feminina da Maratona do Rio em 2010.

 

Passo 11 – Segundo Posto de Hidratação – KM 6 – Praia da Reserva: “Um dos melhores momentos da Maratona do Rio é quando entramos na Reserva. Nesse momento, passa a euforia e o medo da largada e o ritmo encaixa. Nesse ponto, ouvimos os passos e a respiração dos corredores, o som das ondas do mar e o visual das montanhas”. Denise Amaral já disputou 120 maratonas. Sua 100ª corrida de 42km foi a Maratona do Rio.

Passo 12 – Largada da Meia Maratona – KM 21 – Concentre-se no seu ritmo e estratégia de prova. Evite acompanhar outros corredores que eventualmente ultrapassem você.  “A altura do Pepê é uma referência extremamente importante para os corredores. Já é a metade da prova. É hora de avaliar meu tempo e, principalmente, em que condições cheguei até ali. Com base nisso, planejo e me preparo mentalmente para a segunda metade que, com certeza, será mais desafiadora”. João Bandeira é engenheiro e corredor. Em 2017, fará sua 10ª Maratona do Rio.

Passo 13 –  Praia de São Conrado – KM25 –  “Ali é espetacular. É ali que se inicia a verdadeira maratona. A gente olha para o mar… e correndo descalço, me sinto como Moisés atravessando o Mar Vermelho”. – Seu Francisco, conhecido como Chico Águia. Aos 75 anos, é figura conhecida nas corridas de rua do Rio de Janeiro. Corre descalço todas as provas que disputa.

Passo 14 –  Descida da Niemeyer – KM 28 – “Sinto o frescor da água vindo da pedra e a proteção das rochas, o contato com o mar. Ali começa uma fase de recuperação e alinhamento com a energia para dar continuidade à prova. A passagem da Niemeyer para o Leblon traduz o início do contato direto com o público. Sente-se a presença da vibração da torcida, que tem um poder motivacional muito grande”. Vanessa Protásio é especialista em coaching esportivo e movida pela emoção na corrida há mais de 30 anos. Foi a primeira mulher a completar uma edição de maratona no Rio, em 1982.

Passo 15 – Ipanema – KM 32 – “Um dos pontos mais importantes que senti na prova, onde tem muitas pessoas na rua te incentivando, e eu sabia que encontraria os professores da minha assessoria no percurso para me incentivar”. André Ricardo é educador físico. Na véspera da Maratona do Rio 2016, pediu sua namorada em casamento com uma mensagem no chip da prova, e correram juntos os primeiros 42 Km dela.

Passo 16 – Copacabana – KM 35 – “Um dos momentos mais desafiadores é Copacabana, a partir do Km 35. Acontece um momento muito duro e a chegada é a redenção, a delícia, o alívio e orgulho de ter participado”. Zélia Duncan é cantora e maratonista. Costuma levar tênis, relógio e roupa de corrida para as cidades onde se apresenta.

Passo 17 – Praia de Botafogo – Km 39 – “Um dos pontos mais marcantes pra mim é a Praia de Botafogo, em frente à Igreja Nossa Senhora da Conceição. Ali encontramos torcida e amigos. Somos contagiados por aquela emoção. Gritos, sorriso e choro”. Dona Lindalva é uma pernambucana cheia de disposição. Fez sua primeira maratona após completar 70 anos.

Passo 18 – Chegada – quem fizer a maratona tem seis horas para acabar; a meia, são três horas e os 6k, 80 minutos. Caso seu ritmo despenque no final não precisa pegar um táxi, um ônibus da organização vai dando carona aos retardatários, o famoso “cara-cata” “A chegada, ah a chegada! Que momento espetacular. Este momento é de pura emoção, um turbilhão de sentimentos, que vão do sorriso solto, aquele bobo, às lágrimas de fazer soluçar. Se você acha que tudo acabou, ao colocar a medalha no peito, o orgulho da conquista salta ao peito, algo semelhante, mas nem tanto assim, a ter um filho. E, num piscar de olhos, você já se imagina na edição ano seguinte”. Iuri Totti é jornalista e apaixonado por corrida de rua

Passo 19 – Pós-prova: pegue sua medalha de participação e vá procurar um colchonete para dar aquela merecida alongada/descansada mais massagem. Vão rolar vários shows na área de dispersão, aproveite. Aproveite coma uma fruta. São 210 mil frutas (seis para cada um), 38 mil pacotes de biscoito (um para cada um e ainda sobram 5 mil). No almoço, procure consumir uma massa, acompanhadas de uma fonte de proteína (carne, frango, peixe ou ovos); beba bastante água e suco de fruta e/ou fruta de sobremesa. NADA de bebida alcoólica (pelo menos nas primeiras 24 horas). Evite consumir grandes volumes de alimentos, mas mantenha uma ingestão alimentar e de água a cada 3 horas.

Passo 20 – Classificação: só quem ficou entre os dez primeiros vai saber na hora de cruzar a linha de chegada sua colocação, se for este seu caso vai levar uma premiação em dinheiro pra casa. No masculino e no feminino os prêmios são os mesmos. O vencedor vai levar R$ 20 mil, o segundo R$ 10 mil; o terceiro R$ 8 mil; quarto R$ 6 mil; quinto R$ 5 mil; sexto R$ 4 mil; sétimo R$ 3 mil; oitavo R$ 2 mil; nono R$ 1.500,00; e décimo R$ 1 mil. O brasileiro melhor classificado ganha um bônus de R$ 1.500,00. Do 11º ao 15º, cada atleta ganha reembolso de R$ 1 mil de despesas. Se houver quebra de recorde há bonificação de mais R$ 5 mil. Há exame antidoping nos atletas classificados até 20º lugar.  Os técnicos dos campeões, até quinto lugar, também são premiados. Primeiro (R$ 2 mil), Segundo (R$ 1 mil), Terceiro (R$ 800), Quarto (R$ 600) e Quinto (R$400). Também tem premiação para atletas por faixa etária – primeiro (R$400), segundo (R$200) e terceiro (R$100). Os resultados oficiais serão postados no site da prova: www.maratonadorio.com.br Dúvidas – ligue para a organização (21) 2223- 2773.

 

Veja o percurso da Maratona da Cidade do Rio

 

.

 

Tudo o que sabemos sobre:

corrida de rua

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.