Eliud Kipchoge pode ser o primeiro tetracampeão da Maratona de Londres

Eliud Kipchoge pode ser o primeiro tetracampeão da Maratona de Londres

Ele é o atual recordista mundial e também tem o melhor tempo desta prova

SILVIA HERRERA

03 de outubro de 2020 | 12h16

O grande destaque da 40ª Maratona de Londres (Inglaterra), marcada para este domingo, 4 de outubro, apenas com a participação dos atletas da elite, é o fundista queniano Eliud Kipchoge. Ele é o atual recordista mundial desta modalidade, com a marca de 2:01:39, que pretende baixar para 1:59:40, tempo que fez há um ano, em um evento extraoficial em Viena, na Áustria, e entrar definitivamente para a história do esporte, como o primeiro homem a correr uma maratona abaixo de 2 horas, um feito que ele compara a conquista da Lua. E também é dele o recorde da Maratona de Londres, quebrado no ano passado: 2:02:37. Kipchoge conversou com exclusividade com o blog.

Nike fez versão nas cores do Quênia para Eliud Kipchoge  correr neste domingo

Eram esperadas 45 mil pessoas para esta maratona, boa parte delas aceitou correr remotamente, via aplicativo, de todas as partes do mundo. Segundo a organização são corredores entre 17 e 87 anos. O mais velho é Ken Jones, que correu todas as edições. “Estou com saudades das corridas, das viagens e estou muito feliz por voltar a correr neste domingo”, contou  o campeão. Foi ele quem venceu a Maratona Olímpica na Rio2016. E tem tudo para ser o grande destaque da Olimpíada de Tóquio, adiada para 2021.

Por conta da pandemia, a Maratona de Londres será a única competição dele este ano. Ou seja, vem com uma grande sede de vitória e suficientemente descansado para dar seu máximo. Se vencer domingo será tetracampeão em Londres.  “Eu quero fazer história sendo a primeira pessoa a correr a Maratona de Londres cinco vezes e vencer as cinco”, destaca.

O principal oponente de Eliud é o segundo atleta mais rápido do mundo Kenenisa Bekele (Ethiopia) que anunciou nessa sexta-feira, 2 de outubro, que lesionou a perna esquerda. “Estou muito desapontado, treinei muito forte durante toda a quarentena me preparando para esta prova”, comentou na coletiva. No feminino, a também queniana Brigid Kosgei vem com tudo para se sagrar bicampeã da Maratona de Londres. Como seu conterrâneo, ela é a atual recordista mundial – 2:14:04.

TÊNIS ESPECIAL

Desta vez, Eliud Kipchoge não calçará um protótipo, como fez em Viena há um ano, o que impulsionou a elaboração de rígidas regras para os calçados esportivos pela World Athletics. Eliud vai calçar um par do Nike Alphafly branco com detalhes nas cores do Quênia – preto, vermelho e verde feito especialmente para ele. “Tenho muito orgulho do meu país, portanto será um orgulho correr com as cores do Quênia”, afirma. Aliás, o campeão colaborou muito para o desenvolvimento desse modelo, que revolucionou a corrida de rua no último ano, ajudando a pulverizar várias marcas. “Tenho a oportunidade de trabalhar em conjunto com o time de desenvolvimento dos produtos da Nike para dar feedbacks e fazer as melhorias necessárias nos tênis. Espero que isso ajude muitas outras pessoas ao redor do mundo a continuar correndo mais e melhor”, observa o campeão.

Tênis Nike Air Zoom Alphafly Next% está esgotado no Brasil

Ele acrescenta que para os corredores da elite, contar com equipamentos com alta tecnologia e que favoreçam a performance fazem total diferença. E todas as grandes marcas estão focadas nessa guerra e devemos ver calçados cada vez mais aperfeiçoados até dois meses antes da olimpíada, quando terminará o prazo para os lançamentos que poderão ser usados nas competições.

Eliud mora no Quênia e é do NN Running Team, onde treinam os melhores do mundo. Mas, por conta da pandemia, o clube foi fechado e ele teve que se virar sozinho. O atleta costuma correr 200 km por semana, grande parte do percurso em trilhas de terra batida, e fazer muito funcional. Apesar da fama, vive de maneira muito simples e é totalmente dedicado ao esporte. “Sempre começo meu dias as 6 da manhã, vou correr, volto para tomar um chá e comer um pão, tiro uma soneca, almoço, leio um livro e faço outra corrida às 16h”, explica. Incentivado pelo técnico Patrick Sang, Eliud começou no atletismo em 2003 e ama o que faz:“ Não consigo imaginar uma vida sem correr. É o amor pelo esporte que me faz apreciar a corrida cada vez mais, todos os dias.” E independentemente do resultado de domingo, Eliud Kipchoge já tem a próxima meta definida: defender seu ouro olímpico em Tóquio.

Eliud Kipchoge quebrou o recorde da Maratona de Londres em 2019 – Foto: Dan Verno/Divulgação Nike

3 PERGUNTAS PARA ELIUD KIPCHOGE

Você ainda sente pressão nas provas?
Sempre há alguma pressão. Eu quero ter um bom desempenho, fazer uma bela corrida para meus fãs. Penso na minha preparação, o que me deixa mais tranquilo, porque sei que os treinos estão indo bem.

Qual foi o seu maior aprendizado  em 2020?
O ano de 2020 não está sendo  fácil, é uma situação difícil para o mundo inteiro. Para mim, pessoalmente, a Maratona de Londres e os Jogos Olímpicos foram adiados, mas mantive a confiança no futuro e continue treinando. Estou feliz por agora poder correr nesta Maratona de Londres tão especial.

O que te trouxe mais alegria este ano?
Tem sido um ano diferente por conta da pandemia da Covid, mas eu tive a oportunidade de passar mais tempo com a minha família porque nosso camping (clube de treinamento) foi fechado. Eu realmente aproveitei este tempo com eles.

Tudo o que sabemos sobre:

Eliud KipchogeMaratona de Londres

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.