Faça check-up anual e corra das lesões e doenças

Faça check-up anual e corra das lesões e doenças

Em 2017 começou a campanha Janeiro Dourado, que ressalta a importância de acompanhamento médico pelos esportistas

SILVIA HERRERA

20 de janeiro de 2022 | 12h00

Você teve Covid? Resfriado? Treinou mais ou menos na pandemia? Quer voltar ou começar a treinar depois que a variante Ômicron for embora? Janeiro, desde 2017 no Estado de São Paulo, é Dourado. Nome da campanha criada pela Sociedade Paulista de Medicina Desportiva (Spamde) que vem conscientizando a população sobre a importância de acompanhamento médico pelos praticantes de atividades físicas.

É importante realizar check-up anual de saúde para voltar ou iniciar os treinos – Foto Care Club Ibirapuera

Em São Paulo não é mais obrigatório exibir atestado médico para começar a treinar desde 2013. Nas corridas, cada um dos participantes assina um documento afirmando estar em boas condições de saúde. No entanto, as assessorias esportivas pedem anualmente o atestado médico para iniciar ou continuar a treinar. E em tempos de Covid, é bom não vacilar. Orientações divulgadas pela Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE), indicam que uma consulta e checagem de exames é necessária para entender o quanto o coronavírus afetou o paciente, principalmente em casos mais graves, nos quais as sequelas da doença demoram mais para sumirem.

Dr. Gustavo Magliocca, médico do Exercício e do Esporte, vice-presidente da Spamde e CEO da Care Club, explica que todo indivíduo acima de 35 anos, anualmente, precisa apresentar uma avaliação dos seus componentes cardiovasculares para seguir seguro na prática esportiva. “Hoje há check-up para atividade rotineira do esporte e exames para casos pós-covid; e o médico do Exercício e do Esporte é quem vai analisar esses exames e orientar o início ou retorno à atividade esportiva”, explica.

Ele acrescenta que o esporte tem que ser um agente agregador, uma ferramenta de construção, para gerar amizades, para fazer com que as pessoas tenham saúde, e não há idade ideal para começar. “Cada idade tem o seu benefício e suas ações sobre o organismo. O que temos que ter em mente são os objetivos, a clareza do lúdico, para que o exercício seja sempre algo positivo na rotina do indivíduo, mesmo sendo uma criança de alguns anos de vida ou um idoso. Não há idade ideal para começar, mas há benefícios em todas as idades quando se inicia uma prática esportiva”, acrescenta o médico.

FADIGA E EXAMES ALTERADOS 

Samantha Barijan é atleta de Beach Tennis e contraiu o coronavírus em dezembro de 2020. Ela foi uma das pessoas atendidas pela Care Club Ipanema durante o desenvolvimento do protocolo do Plano Pós-Covid. “Perdi o olfato, o paladar e senti muitas dores no corpo, mas felizmente não precisei ser internada”, conta. No retorno aos treinos, depois de realizar uma bateria de exames, tudo parecia estranho. “Sentia muito cansaço, como nunca senti antes. E ter o acompanhamento cardiológico na retomada dos treinos, um profissional que sabe o seu histórico, te acompanha e estuda muito o coronavírus, foi o ponto alto, além de todos os testes que foram solicitados. Definitivamente voltei aos treinos com 100% de segurança”, detalha a atleta.

“O Plano Pós-Covid foi elaborado para atender as pessoas que tiveram um quadro de infecção e desejam retomar ou iniciar a atividades físicas e a vida normal”, explica Dr. João Pedro Tavares, médico do Esporte da Care Club, que atua nas unidades Ibirapuera e Piracicaba. O primeiro passo é realizar os exames para checar os quadros de coagulação, riscos para doenças trombóticas que, nos casos mais graves, podem causar até AVC ou infarte. E checar o aparelho cardiovascular, a musculatura cardíaca e os pulmões. O médico acrescenta, que os pacientes que tiveram Covid apresentam falta de ar e cansaço, que persiste por vários meses. E por ser uma doença nova, sequelas podem aparecer depois de algum tempo.

Em dezembro, entrevistamos a cardiologista e médica do Esporte Renata Castro, que há duas décadas atende atletas olímpicos e amadores e tem pós-PhD em Harvard, sobre o retorno das atividades após quadros de Covid.  Ela coordenou o Plano Pós-Covid da Unidade Ipanema da Care Club e atualmente atende em consultório próprio no mesmo bairro. Ela alerta que até quadros leves comprometem a retomada ou início dos treinos, e que é muito importante a realização dos exames antes do início das atividades. “A pessoa vai ficar completamente parada duas semanas, o que já vai comprometer a musculatura, e o retorno tem que ser feito de forma paulatina e principalmente com muita segurança, já que os exames cardíacos costumam apresentar resultados alterados na maioria dos pacientes”, explica.

DESAFIO VIRTUAL – E quem não pegou nem resfriado nem Covid, está rolando o Desafio virtual Janeiro Dourado até 31 de janeiro. Você se inscreve no Ticket Agora, vale correr (3k, 5k, 10k ou 21k), nadar ( 500m, 1500m, 3000m e 5000m), pedalar (15K, 40K, 60K e 100K ) ou caminhar (3K, 5K e 10K) onde você puder, utilize um app para comprovar o desafio. Idade mínima 18 anos. As comprovações podem ser postadas até 28 de fevereiro. Há três tipos de kit, sem camiseta, com camiseta e com caneca e camiseta. Todos que concluírem vão receber a medalha de participação. O kit pode chegar em até 30 dias da data da inscrição. A partir de R$ 64,90 mais R$ 5 da taxa de serviço. Organização Correr com Propósitos.

 

Confira abaixo a entrevista completa com a dra Renata Castro

Tudo o que sabemos sobre:

check-upcovid-19prevenção

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.