Federação Paulista de Atletismo se manifesta contra projeto do Complexo do Ibirapuera

Federação Paulista de Atletismo se manifesta contra projeto do Complexo do Ibirapuera

Projeto do governo estadual pretende demolir o estádio de atletismo Ícaro de Castro Mello

SILVIA HERRERA

04 de dezembro de 2020 | 11h48

Esta semana a notícia da transformação do Complexo Desportivo Constâncio Vaz Guimarães em Shopping Center causou indignação entre atletas e corredores de rua, que se manifestaram nas redes sociais. E quinta-feira, 3 dezembro, a Federação Paulista de Atletismo se posicionou em defesa da permanência do Estádio Ícaro de Castro Mello, onde está a pista de atletismo do Ibirapuera , único equipamento estadual do gênero na capital paulista. E os atletas de várias modalidades e corredores de rua iniciaram a campanha “Atleta Não Se Compra Em Shopping” e marcaram manifestação para domingo, 6/12, às 9h. Pedem para todos irem de máscara para que o complexo seja abraçado em um protesto pacífico, mantendo o distanciamento social. #ABRACEOIBIRAPUERA

Protesto será domingo, às 9h

Após o tombamento do complexo ser rejeitado pelo  Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) na segunda-feira, o governo amuniciou seus planos em conceder esta área para a iniciativa privada em um projeto, divulgado em edital, que inclui transformar o ginásio do Ibirapuera em um shopping, o estádio de atletismo em uma arena multiuso para 20 mil pessoas, e as piscinas em torre comercial e hotel. Ou seja, o mote é a especulação  imobiliária.  Governo alega que o local dá prejuízo e precisa de reformas. Seriam R$ 15 milhões por ano gastos em manutenção. Vale lembrar que o terreno onde está o complexo é da prefeitura e que João Dória, em 2017 quando era ainda prefeito da capital, anunciou que estava em seu plano de concessões este complexo e mais 54 equipamentos.

Na reforma do Maracanã o estádio Célio de Barros, onde havia uma histórica pista de atletismo, virou estacionamento. As novas arenas do futebol moderno não comtemplam mais as pistas de atletismo ao redor do campo, para que os torcedores fiquem mais próximos dos jogadores, “tenham uma melhor experiência”, sinceramente discordo totalmente. Aliás, quem gosta de futebol também gosta de correr e de atletismo. Na capital, só o estádio do Morumbi conserva a sua pista de atletismo. Outras opções são no Esporte Clube Pinheiros, no Clube Esperia;  no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP), um  equipamento da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SEME); e em Santo Amaro no Núcleo de Alto Rendimento, também municipal.  Para uma cidade como São Paulo é pouco. Agora o MP busca alternativas para manter o Complexo do Ibirapuera.

São 105 mil metros quadrados da história esportiva do Brasil. Só concordo com um ponto, é necessário reformas urgentes. Os próprios atletas vêm reclamando desde antes da Rio 2016, quando foi adquirido um piso para a pista de atletismo com o dobro do preço e metade da espessura exigida, o que resultou em lesões e boa parte dos atletas começou  treinar em outros locais e até cidades próximas. Não sou engenheira, mas não seria mais prático reformar o ginásio em arena multiuso e reformar a pista de atletismo? E cobrar ingresso dos eventos, como já acontecia? Vale lembrar, que recentemente foi erguido um hospital de campanha exatamente nessa pista de atletismo.

Já assisti e participei de eventos esportivos no Ícaro e tomara que todas as federações se posicionem oficialmente como fez a de atletismo,  senão fica o dito pelo não dito. Quando o governo lançou esse edital perverso chegaram a dizer que a maioria das federações era favorável a mudança. Talvez as grandes favoráveis sejam as construtoras, pois a capital paulista vive um boom imobiliário em plena pandemia do coronavírus.

Confira abaixo a íntegra do ofício da Federação Paulista

“O Atletismo Paulista e Brasileiro tem, no Estádio Ícaro de Castro Mello, grande parte de sua história e representatividade. Em suas instalações, milhares de crianças, jovens e adultos tiveram suas vidas transformadas positivamente pelo esporte, ao longo de mais de 45 anos da existência da Pista de Atletismo.

É a única pista de Atletismo pública de propriedade do Governo do Estado de São Paulo que era aberta a população. É o único estádio de Atletismo do Estado e um dos únicos do Brasil com capacidade para receber público acima de 10.000 pessoas.

Encontra-se em localização estratégica para oportunizar esporte, saúde e qualidade de vida a milhares de pessoas. Possui uma arquitetura de relevância internacional no que tange a espaços públicos voltados á qualidade de vida, e reflete toda uma constituição histórica e identitária de nossa modalidade e sociedade.

Os benefícios da oportunidade da vivência esportiva são extremamente significativos, únicos, e consequentemente intangíveis materialmente, e por conta disso estádios e estruturas esportivas com significado histórico são, nas mais diversas metrópoles do mundo, preservados em sua essência.

São Paulo e o Brasil necessitam que equipamentos dessa relevância sejam preservados, com as devidas reformas e aperfeiçoamentos inerentes a qualquer estrutura que bem serve a população, e por essas razões acima expostas a Federação Paulista de Atletismo, suas equipes filiadas, atletas, treinadores, árbitros e toda a comunidade esportiva que representam se posicionam EM DEFESA DA PERMANÊNCIA DO ESTADIO ICARO DE CASTRO MELLO – PISTA DE ATLETISMO DO IBIRAPUERA.

Com as devidas reformas necessárias para manutenção de qualquer equipamento que serve ao uso permanente da população, aliado a uma eficaz gestão de sua estrutura, e com a garantia de utilização para os devidos fins a que foi projetada, a Pista de Atletismo do Ibirapuera pode continuar a servir bem a toda a sociedade por muitas décadas.”

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

IbirapueraComplexo do Ibirapuera

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.