Jaqueline Weber, a mulher que ama correr

Jaqueline Weber, a mulher que ama correr

Atleta gaúcha de meio fundo luta para a construção de uma pista de atletismo em Santa Cruz do Sul (RS)

SILVIA HERRERA

08 de março de 2022 | 15h18

O que faz seu olho brilhar? O de Jaqueline Beatriz Weber brilha ao falar de atletismo e da força do esporte, que pode transformar a vida das pessoas e de toda uma comunidade. Atleta da elite de meio fundo, de provas de 800m rasos e 1.500m rasos, ela foi a campeã dos 5k, uma corrida dentro do GP Extreme, em São Carlos, no sábado. Ela foi a convite da Fila, sua patrocinadora de material esportivo, que era também a patrocinadora da prova e estava lançando um novo modelo de tênis de fibra de nylon e vidro, o Racer T2, especial para triatlo. Ela foi para apreciar o evento, e arrebentou, cruzou a linha de chegada aos 17 minutos e 04 segundos, e olha que a meta era ainda mais audaciosa, 16 minutos! Mas com um percurso com três ladeiras cruéis e um sol no grau máximo, sinceramente, ela não venceu, triunfou! Eu, pangaré retornando gradualmente às corridas, fui no corre e anda, e finalizei quase 20 minutos depois.

Jaque Weber venceu o 5K do GP Extreme com o Racer T2

Mestranda em Gerontologia pela Universidade Federal de Santa Maria, e treinando em tempo integral, Jaque faz o dia render muito. Além de tudo isso ela dá aulas de atletismo na Associação Medalha de Ouro, a AMO Atletismo, que atende crianças e adolescentes da cidade. Um dos desafios é estrutural, a pista de atletismo é de terra e externa, e quando chove é quase impossível de se exercitar lá. Aliás, não há nenhuma pista sintética de atletismo na cidade. E sintética e coberta no Brasil, talvez só no Centro de Atletismo Professor Oswaldo Terra (São Bernardo) ou Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo. Posso estar errada, mas acho que a pista coberta é só para aquecimento.

Pista da AMO Atletismo, escolinha na Unisc (RS)

Nascida em Teutônia (RS), ela começou a correr incentivada pelo avô. Aos 17 anos foi convidada para ingressar na equipe Unisc (Universidade de Santa Cruz do Sul) para treinar com Jorge Peçanha, pai do atleta Fabiano Peçanha (meio fundo). Jaque se mudou para lá, ganhou uma bolsa de estudos nessa universidade, onde se graduou em Educação Física, e treinou com Peçanha. E sua carreira deslanchou.

Jaque é da seleção brasileira de atletismo, vice-campeão brasileira e tem marcas expressivas: 02:02:69 para 800 metros rasos; e 04:18:67 nos 1.500m rasos. Ela tem chances reais de conquistar uma vaga para a Olimpíada de Paris, seu atual foco. E um dos entraves é exatamente a falta de infraestrutura. A atleta tem que viajar para a cidade do lado, Lajeado, para treinar em pista de atletismo sintética. Mas uma das metas da gaúcha é mudar esse cenário. Anos atrás, conseguiram recursos para isso, mas na hora “H”, o então prefeito julgou melhor construir uma pista para Stock Car, o Autódromo de Santa Cruz, que foi inaugurado em 12 de junho de 2005, e custou muito mais caro que o valor da pista de atletismo sintética.  “Nada contra o automobilismo, gosto bastante, mas há poucos pilotos na cidade, e corredores são milhares”, conta a atleta, que se emociona a falar das crianças que ela está inserindo na modalidade no AMO, que tem apoio da Unisc. E da falta que faz uma pista de atletismo de verdade.

Jaque Weber foi vice-campeã Sul Americana Indoor dos 800 metros e terceira colocada dos 1500 metro – no Campeonato Sul-Americano, em fevereiro na Bolívia

Que neste dia das mulheres, a atual prefeita de Santa Cruz do Sul, Helena Hermany, olhe com carinho para projeto da pista de atletismo, equipamento que é fundamental para que atletas como Jaque corram cada vez mais rápido e possam ter ainda mais chances de representar o Brasil nos próximos Jogos Olímpicos. Semana passada, a prefeita aprovou a retomada do projeto Craques da Bola, para crianças de  5 a 17 anos, que inclui atletismo. Que tal construir esse espaço já dentro desse projeto?

E por isso, por toda essa garra, meus parabéns neste 8 de março, Dia Internacional das Mulheres, vai para ela, Jaqueline Beatriz Weber e para todas as atletas da elite brasileira. Parabéns, guerreiras das pistas e do asfalto!

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.