Musculação para corredores

Musculação para corredores

SILVIA HERRERA

10 de setembro de 2015 | 12h03

A prática melhora a economia dos movimentos da corrida e previne lesões, desde que feita corretamente.

We_Run_Kuala_Lumpur_native_600

Dez entre dez treinadores de corrida recomendam trabalho de fortalecimento muscular. No entanto, não é em todas as academias que há um profissional de educação física focado em corrida. Geralmente é preciso contratar um personal com essa característica. Mas como um iniciante pode perceber que algo vai mal na sala de musculação?

Conversei a este respeito com o pessoal da Personal Work (aulas de Yoga, Personal Pilates, Treinamento Funcional, Corrida e Caminhada) e do Club Físio (clínica de prevenção e reabilitação ortopédica, traumatológica e esportiva). O educador físico e sócio-proprietário da Personal Work, Claudio Lafemina, explica que o mais importante é saber se o profissional é formado e inscrito no CREF e buscar referências com outros alunos.

Gustavo Nogueira, sócio-fundador da Club Físio, destaca que um bom profissional inicia seu trabalho com uma avaliação minuciosa com o objetivo de mapear e caracterizar seu aluno. Esse professor deve atender aos objetivos do aluno e programar um treinamento especifico para isso. “Acompanhá-lo de perto é fundamental se atentando as gestos e a qualidade do movimento a ser executado em cada exercício proposto. Caso isso não aconteça, o aluno deve acender o sinal de alerta quanto ao professor”, recomenda. Ele conta que os  primeiros sintomas de que algo está indo errado são as dores articulares decorrentes dos exercícios da musculação.

Confira abaixo a entrevista com o fisioterapeuta Gustavo Nogueira, sócio-fundador da Club Físio (clinica de prevenção e reabilitação ortopédica, traumatológica e esportiva).

 

Um trabalho muscular exagerado de membros inferiores pode acabar por lesionar quem procura fortalecimento em vez de hipertrofia?

Gustavo Nogueira – Sim, isso pode depender tanto da carga, do número repetições e da amplitude de movimento utilizada no exercício. Por exemplo um agachamento muito profundo, leva a um aumento da pressão na articulação entre a patela e o fêmur, levando a desgaste da cartilagem articular.

O caso do corredor Cláudio Mauricio Vaz, que acabou por machucar o tendão do músculo psoas – lado esquerdo, foi por conta de um trabalho muscular inapropriado. Em linhas gerais, o que faz o o músculo psoas, conhecido por músculo da alma?

Gustavo Nogueira – O iliopsoas é um músculo que se origina na coluna e se insere no fêmur. Tem como funções principais a flexão da coxa e estabilização anterior da articulação do quadril.

Como deve ser o trabalho muscular para um corredor intermediário, que pretende correr sua primeira maratona em um ano?

Gustavo Nogueira – O principal fator a ser abordado para esse corredor, que queira se preparar para corridas de longas distâncias, é a estabilização do tronco e dos músculos do quadril – glúteo máximo e glúteo médio). Esses músculos são chaves para diminuição da sobrecarga nos membros inferiores, assim prevenindo lesões articulares em quadril, joelho, tornozelo e pé.

Como deve ser o trabalho muscular para um iniciante – duas sessões semanais de musculação seriam suficientes?

Gustavo Nogueira – O ideal para esse iniciante é não deixar um espaço maior do que três dias entre as sessões de treinamentos, ou seja, de duas a três vezes por semana seriam o ideal.

 

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

corrida de ruamusculação

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.