Nike turbina nova versão do tênis de corrida de rua Zoom Pegasus

Nike turbina nova versão do tênis de corrida de rua Zoom Pegasus

SILVIA HERRERA

11 Julho 2018 | 13h19

Atualização da 35ª edição chega recheada de tecnologia para dar aquele gás na corrida. A partir de agosto nas lojas e com pré-venda aos sócios do nike.com  entre 19 e 22 de julho, a R$799,90.#tecnologia #calçado esportivo #BlogCorridaParaTodos #corridaderua

O Zoom Pegasus Turbo foi desenvolvido inspirado nos tênis  Zoom Vaporfly Elite e no 4%, do desafio da maratona sub 2 horas. Dos 36 possíveis pódios de 2017 (top 3 posições) nas mais importantes maratonas do mundo em 2017, 19 atletas calçavam o Zoom Vaporfly 4% .

Entre as inovações desses modelos, agora presentes na versão Turbo do Pegasus 35, estão a espuma Zoom X ultra-responsiva (entressola) e o design aerodinâmico no calcanhar. Mas gente, sem treinar o tênis sozinho não fará milagre. Com tanta tecnologia embarcada, o preço do modelo ficou mais salgado, chegou à faixa dos R$800. O Pegasus 35 normal custa na faixa dos R$550.

Mas vale sempre a mesma dica, a versão anterior do Pegasus, a 34,  vai cair de preço ainda mais e será um bom momento para quem quiser experimentar este modelo icônico, que prima pelo bom amortecimento. Por exemplo, hoje dia 11 de julho de 2018, há este modelo no site oficial da marca por R$429,90. No Outlet já deve estar mais barato.

O que faz de diferente esta espuma nova? Segundo a assessoria de imprensa da Nike, ela apresenta 85% de retorno de energia, o que seria a mais alta da marca.  Aliado a isso, é a espuma mais leve da marca  (238g tamanho 42 masculino e 195g feminino tamanho 37 feminino).

O retorno de energia oferecida pela espuma de um tênis de corrida é redução da quantidade de energia que se perde pelo tênis cada vez que ele é comprimido, no momento em que o corredor toca o solo durante a corrida de rua. Essa força costuma ser uma combinação de passadas, pace e peso. A espuma faz essa “economia” de energia quando volta ao formato original, no momento em que o pé do atleta sai do chão. Quanto mais próxima ao formato original, mais energia é devolvida para a espuma. Ou seja, traduzindo, a espuma consegue recuperar seu formato rapidamente.

O que  este Pegasus não tem do Vaporfly Elite é a  placa de fibra de carbono. O pedido foi dos próprias atletas da elite, como os feras Eliud Kipchoge e Galen Rupp. Eles pediram um tênis um pouco mais macio para treinar -sem a rigidez da placa – e deixar para o dia de prova este trunfo. Avaliaram que seria um recurso exagerado para os treinos incluir a placa no Pegasus, que desde de sempre foi um calçado bacana para rodar sem dó nem piedade.

Por dentro do Zoom Pegasus 35 

  • O cabedal tem uma malha translúcida e sem costuras, que deixa à mostra os cabos Flywire responsáveis por dar mais firmeza e ajuste ao tênis.
  • Amortecimento composto pela espuma ultra-responsiva Zoom X combinada com uma camada de Nike React (para aumentar a durabilidade e a estabilidade do tênis).
  • Tecido acolchoado na região do “colarinho” foi desenvolvido para proteger o calcanhar de Aquiles e evitar atrito ou irritação nessa área sensível.
  • As pequenas ranhuras texturizadas no solado padrão waffle ajudam a absorver o impacto e garantem tração em diferentes tipos de superfície.
  • Offset de 10mm (drop)

Mais conteúdo sobre:

corrida de ruacalçadotecnologia