Organização da Meia Maratona de Porto Alegre pede desculpas à corredora

Organização da Meia Maratona de Porto Alegre pede desculpas à corredora

SILVIA HERRERA

06 Agosto 2018 | 11h22

Graças à publicação no Blog Corrida Para Todos sobre a confusão na premiação por categoria na  Meia Maratona de Porto Alegre, a organização reembolsou a atleta, formalizou pedido de desculpas e terceirizou o erro da cronometragem. #BlogCorridaParaTodos #Maratona #corridaderua

Adriana Toledo Piza, que soube dias depois de ter corrido os 21K da Maratona de Porto Alegre, em junho, que outra pessoa havia sido premiada como campeã em seu lugar logo após a prova,  questionou a organização – Clube de Corredores de Porto Alegre (Corpa) -, que acabou enviando pelos Correios o troféu a qual ela teria direito dois meses depois. No entanto, quando Adriana foi retirar o troféu nos Correios descobriu que teria que pagar o envio do mesmo.

Nove horas após a publicação do post: A Campeã que teve que “pagar” pelo troféu , o diretor do Corpa, Paulo Silva, entrou em contato com a corredora e conosco e mandou a mensagem abaixo:

“Sou o organizador da Maratona Internacional de Porto Alegre há 25 anos. Li a matéria sobre o ocorrido durante a premiação da Meia Maratona,  sobre o erro da apuração do teu resultado, aferido por uma empresa terceirizada. Este assunto chegou ao meu conhecimento hoje, estou me colocando à disposição para pedir desculpas e prometo corrigir nossos erros. Farei a devolução do valor referente ao envio do troféu. Aproveito para te parabenizar pela conquista e entendo teu descontentamento. Desculpas e te esperamos em 2019. Obrigado”

O valor do envio do troféu – R$ 36 – foi efetuado na sexta-feira, dia 2 de agosto. Paulo Silva, questionado, não explicou como seu nome foi parar no remetente da embalagem do troféu, Respondeu que “o erro foi feito por uma empresa terceirizada”. “Nosso clube é pequeno, não temos estrutura para cronometrar a maratona e a meia maratona. Nós fizemos a cronometragem da maratona, onde os erros praticamente não ocorreram. Nosso sistema de chip é superior ao de qualquer outra empresa, porém, é muito caro e não temos na quantidade suficiente para cronometrar também a meia maratona, por isso optamos pela terceirização”, explica.

Para a meia maratona e a prova de 7,5Km foram utilizados chips descartáveis. A “campeã” premiada indevidamente na categoria 50 anos feminino, foi uma atleta que correu a prova dos 7,5k e não os 21k. Até hoje ninguém conseguiu entender como Adriana não foi chamada nem para receber o troféu de terceiro lugar. E como essa corredora dos 7,5K não percebeu a confusão na hora? Depois dessa, devo concordar com os youtubers – realmente o brasileiro precisa ser estudado.

Para 2019 vão substituir a empresa da cronometragem da meia maratona, para que esses erros não se repitam. “Estamos procurando uma empresa mais competente”, avisa o organizador. E a premiação para as categorias por idade está mantida para 2019. Nossa humilde sugestão, depois desse caso, é que a organização presenteie a Adriana com uma inscrição para a Meia Maratona de Porto Alegre. #ficaadica

 

 

Mais conteúdo sobre:

maratonacorrida de rua