Os 10 principais erros da São Silvestre

Os 10 principais erros da São Silvestre

Confira as orientações do médico do Esporte e nutrólogo Eduardo Rauen, da nutricionista Camilly Gabry Houaiss e da educadora Física Gabriela Bahia

SILVIA HERRERA

30 de novembro de 2021 | 10h00

A 30 dias da 96ª Corrida Internacional de São Silvestre vamos te ajudar a evitar os dez erros mais frequentes cometidos por corredores de todos os níveis técnicos. A prova segue confirmada para a manhã de 31 de dezembro, último dia do ano, e com as inscrições reabertas. E atenção, a São Silvestre não é uma maratona como muitos pensam, é uma corrida de 15km, com um circuito bem técnico e difícil, começa em descida e finaliza com a subida da Avenida Brigadeiro Luís Antonio, que tem dois estágios, antes da chegada na Avenida Paulista. O clima é outro desafio, ou está extremamente quente ou chove torrencialmente. Além disso, o protocolo sanitário da prova obriga o uso de máscara durante todo o trajeto.  E para você não cair nos dez principais erros da corrida mais popular da América Latina, seguem as orientações elaboradas por Camilly Gabry Houaiss, nutricionista; Gabriela Bahia, educadora Física, e dr. Eduardo Rauen, nutrólogo e médico do Esporte.

Largada da elite feminina na Corrida Internacional de São Silvestre

 

Camilly alerta que é bom ficar longe do álcool nas confraternizações de fim de ano. “A bebida alcoólica não será sua aliada nesse momento, ela vai atrapalhar sua recuperação muscular, tão importante para a prova”, explica. O médico do Esporte destaca que é bom não subestimar o descanso. “O mais comum é o corredor aumentar o treino por conta própria pensando em correr mais rápido. O melhor sempre é procurar um treinador, um profissional de Educação Física, que elaborará um treino correto. Fazer o treino sozinho aumenta muito o risco de lesão”, explica.

Gabriela Bahia desenvolveu um método próprio de fortalecimento muscular

O segundo erro mais comum é com a nutrição, não fazer uma reserva de glicogênio adequada, ou experimentar um gel novo na corrida, o que causa até diarreia. Camilly acrescenta que para quem está acostumado é bom armazenar energia, consumindo duas horas antes da largada alimentos como a batata doce, mas sempre consulte seu nutricionista primeiro. Gabriela destaca a importância do corredor fazer treinamento de força. “Só para lembrar que esse treinamento não exclui os treinos específicos de corrida, mas é um complemento. Porque de nada adianta você fazer um treino específico – que seria correr – se sua musculatura não tiver forte o suficiente. Você pode ter uma lesão, uma entorse”, alerta a professora. “E pode correr tranquilo de máscara, apesar de dificultar a respiração, o uso dela não provoca alterações fisiológica que gerem riscos à saúde”, destaca Rauen. Gabriela acrescenta que quem treinou certinho deve fortalecer a mente:  “Olhe para frente e preste atenção na respiração. Quem se preparou para estar ali, já treinou o suficiente para fazer o seu melhor. E só ir!”

10 PRINCIPAIS ERROS:

1 – Estrear um tênis de corrida (dr. Rauen)

2 – Experimentar um novo gel de carboidratos (dr. Rauen)

3 – Fazer seu próprio treino ou adaptá-lo sem orientação profissional (dr. Rauen)

4 – Pular os postos de hidratação da corrida (dr. Rauen)

5 – Ingerir bebidas alcoólica na véspera e no pós prova (Camilly Gabry Houaiss)

6 – Fazer jejum pela primeira vez antes da São Silvestre (Camilly Gabry Houaiss)

7 – Não consumir frutas no café da manhã antes da São Silvestre (Camilly Gabry Houaiss)

8 – Acelerar tudo na largada (Gabriela Bahia)

9 – Não fazer aquecimento (Gabriela Bahia)

10 – Não fazer fortalecimento muscular (Gabriela Bahia)

 

Tudo o que sabemos sobre:

corrida de São Silvestredicas

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.