Pandemia provoca boom nas atividades esportivas

Pandemia provoca boom nas atividades esportivas

Relatório detalhada do Strava mostra dados de 73 milhões de pessoas

SILVIA HERRERA

16 de dezembro de 2020 | 17h41

Passado o susto inicial, entre março e abril, nunca houve um ano com tanta atividade física como 2020. O Strava acaba de divulgar o relatório “Year in Sport” com base nos dados dos 73 milhões de usuários em todo o mundo, 9,5 milhões deles no Brasil, que juntos percorreram a distância de 17 bilhões de quilômetros. Pela primeira vez 55% dos usuários bateram seus recordes pessoais. Também houve um aumento expressivo de novos usuários: 2 milhões por mês. “Embora o ano não tenha acabado, para sempre será lembrado como o ano da Covid-19, quando os atletas de todo o mundo se mobilizaram, se adaptaram e encontraram novas formas para se apoiar, progredir e competir, mesmo que a distância”, destaca Rosana Fortes, country manager do Strava no Brasil.

Rafaela Ramallo – mulheres treinaram mais do que os homens  -Foto Divulgação Strava

Ela conta que vários treinadores procuram a marca para tentar deixar os treinos mais atrativos. ” “Fizemos vários desafios, inclusive solidários; e pela primeira vez na história o Desafio Global do 5k contou com 1 milhão de pessoas,  o que é um número expressivo quando comparado com o máximo de 40 mil pessoas que participam em uma maratona”, acrescenta. Rosana se isolou em um sítio, trocou a corrida pela bike e treinava em uma pista de 400 metros dentro do sítio. Os dados do Strava mostram que isso foi uma tendência, as pessoas se adaptaram, praticaram outros esportes.  E entre as 32 atividades que o app monitora a que mais cresceu, no comparativo com 2019,  foi a caminhada – 3 vezes mais em toda a Terra. Em segundo veio o treino indoor, lembra o povo correndo maratonas nas sacadas dos apartamentos – crescimento de 2,2 vezes; e em terceiro: esportes aquáticos ao ar livre. Só de escrever isso me dá vontade de nadar no mar…

Outro dado bem interessante – as mulheres treinaram mais do que os homens em 2020, em todas as faixas etárias, 13% globalmente. Veja o gráfico abaixo. E, por razões óbvias, a corrida “sozinho” aumentou 55%.  E para 2021 o Strava vai lançar novas funcionalidades, uma delas acaba de ser lançada  – uma retrospectiva para cada um dos seus usuários no app, com base nos seu histórico de treino.

“NÃO EXISTE LOCKDOWN
PARA OS NOSSOS SONHOS”

Thiago Vinhal treina com Strava há quatro anos

O triatleta mineiro Thiago Vinhal, usuário desde 2016 da ferramenta, estava na Ilha de Maiorca, treinando com seu técnico, quando chegou a notícia do coronavírus: “Nunca tinha começado um ano tão bem. 2020 era um ano para arregaçar, consegui patrocínio para treinar direito, melhorar no meu pedal. E fui para o melhor local para isso, a Espanha.” Thiago estava hospedado na casa do treinador – o dinamarquês Frank Jakobsen – para realizar o Next Level Camp.  “Fui para um camping e acabei é internado”, brinca. O treinador puxou bem a atividade, e a esposa dele, campeã mundial de triatlo e PHd em Ciência da Nutrição e Ciência do Esporte, na dieta. “Treinar indoor com o treinador do lado, direito, faz uma baita diferença”, acrescenta.  E logo que a Espanha afrouxou o lockdown, Thiago se tornou o número 1º da ilha, pelo Strava, ganhou tudo, bateu todos os recordes, o que funcionou muito bem como uma motivação a mais. “Treinava sozinho, só eu e os cabritos. Aprendi que não existe lockdown para os nossos sonhos”, conta.

Thiago treinou mais mil horas, seu pace médio baixou para 3,35 km/h. “A performance é assumir nossa verdade. Era ruim em treino indoor. Meu treinado disse que não poderia focar no que não dá para controlar, no caso a pandemia. Não valia a pena perder energias com pânico, medo. Focamos nos treinos. Aprendi a focar no que dá para controlar”, observa. E a interação da galera do Strava ajudou muito a Thiago sempre se sentir motivado. “O esporte te proporciona a sempre fazer a sua melhor versão, sou profissional da Educação Física, e tenho esta missão”, observa.

Aquela preguiça, vontade de só maratonar no Netflix, passou bem longe de Thiago. “Estou agarrado ao meu sonho, vencer um IronMan,  e diariamente me afasto das distrações. Precisa estar em um ambiente certo para progredir, por isso foi para Espanha. E distância não é ausência, conversava com minha família e amigos diariamente. E todas as dificuldades vão te deixando mais forte”, argumenta.

DADOS – YEAR IN SPORT – STRAVA 

 

A expectativa era bem inferior ao que foi aferido

 

Mulheres se destacaram

 

Year in Sport 2020

 

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

pesquisaStravaThiago VinhalYear in Sport

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.