Pesquisa global indica aumento no número de corredores durante a pandemia

Pesquisa global indica aumento no número de corredores durante a pandemia

Estudo foi bancado pela Asics e ouviu 14 mil corredores amadores em 12 países

SILVIA HERRERA

15 de junho de 2020 | 18h45

Junho é o mês do Global Running Day, que rolou dia 3, com a participação de mais de um milhão de corredores de 170 países. E para marcar a data, a Asics tem realizado ações diferenciadas, como uma pesquisa com 14 mil corredores de 12 países. Estudo esse para tentar entender e acompanhar as
mudanças de comportamento do corredor afetados pela pandemia. Paralelamente, a marca estabeleceu uma parceria com a ONG AEC Kauê de Itaquera, e ações de doação para apoiar atletas profissionais desamparados.

Mil brasileiros participaram do estudo

A pesquisa foi realizada pela agência  Edelman Intelligence, entre 3 e 15 de maio deste ano, com usuários do app Runkeeper. Os participantes tinham entre 18 e 64 anos e treinavam ao menos uma vez por semana. Em cada um desses países foram entrevistadas mil pessoas: Austrália, Brasil, China, França, Alemanha, Índia, Itália, Japão, Rússia e Espanha. E duas mil no Reino Unido e nos Estados Unidos. Os participantes foram recrutados em um painel global com base em seus comportamentos auto-declarados. No grupos havia corredores de todos os níveis e idades a fim de garantir que tivessem os resultados mais autênticos e reais possíveis.

Os dados indicam  que mais de um terço dessas pessoas (36%) estão mais ativos agora do que eram antes do início da pandemia da COVID-19, mesmo com as medidas adotas para a contensão da pandemia. Durante o mês de abril o aplicativo registrou aumento de 252% nos registros em todo o mundo, e um aumento de 44% em usuários ativos mensais em comparação com o mesmo período do ano passado. O estudo também relatou um aumento global de 62% pessoas saindo para uma corrida semanal. Comparado ao mesmo período do ano passado, houve um aumento de 47,3% (globalmente) no número de pessoas correndo.  Vale destacar que na maioria dos países a corrida na rua não foi proibida, mas criaram horários específicos para a prática, conforme a faixa etária, e orientaram para as pessoas correrem sozinhas. Fora os casos de corridas nas varanda, quintais, estacionária e na esteira.

A porcentagem é maior (81% globalmente; 88% no Brasil) entre os que dizem que a corrida desempenha um papel fundamental para espairecer a mente, enquanto dois terços (65% globalmente; 67% no Brasil) afirmam que os benefícios mentais da corrida superam outras atividades físicas.  Além disso, para a maioria das pessoas, (78% globalmente; 91% no Brasil) o papel do esporte vai ganhar mais relevância em suas vidas depois da pandemia. E mais da metade (59% no mundo todo e  70% no Brasil) pretendem adaptar novas rotinas de treino iniciados durante o isolamento à rotina que tinham anteriormente. 

Yasuhito Hirota, presidente da ASICS, é do time para qual  a corrida ganhou outros significados. “Para a maioria de nós, o atual momento nos traz ansiedades, incertezas e restrições. Como provam as descobertas iniciais do nosso estudo, uma corrida se tornou muito mais do que apenas uma corrida. É uma maneira de as pessoas deixarem de lado os inúmeros desafios mentais dessa pandemia, apesar de estarem fisicamente confinados. ” Para Kelly McGonigal, PhD, psicóloga da saúde e professora da Universidade de Stanford,  faz todo o sentido que pessoas do mundo todo tenham voltado a correr durante esta crise. “Quando você corre, você literalmente se sente avançando na vida. Você pode sentir seus músculos impulsionando-o para a frente. Suas ações o levam a algum lugar. Numa época em que tantas pessoas se sentem presas ou confinadas, a corrida oferece uma experiência física direta de liberação. Ao incentivar os corredores de todas as habilidades a reconhecer, comemorar e compartilhar como a corrida os faz sentir, a ASICS os ajuda a cumprir suas aspirações de seguir em frente”.

AEC Kauê de Itaquera

Além de pesquisar o “novo normal” dos corredores, a marca japonesa está empenhada em ações sociais que ajudem ONGs e agentes sociais que atuam na promoção do esporte nas periferias. Por isso, para contribuir de forma mais tangível aos impactos da crise, a ASICS firmou uma parceria com a ONG AEC Kauê de Itaquera. A parceria se dará, neste primeiro momento, por meio de ajuda financeira com a doação de R$ 40 mil  para apoio a projetos importantes da entidade e doação de cestas básicas.  Criada há 22 anos, a ONG desenvolve, por meio dos esportes, projetos de inclusão social encabeçados pelo fundador e ex-atleta universitário, Francisco Carlos da Silva (Fran).

“Essa é a principal ferramenta e legado que o esporte pode deixar nesse momento de tanta tristeza que assola nosso país. Parcerias que sejam capazes, por meio do esporte, de transformar, de acolher e principalmente, de transformar a vida das pessoas. Seja por meio de iniciativas como essa de financiar a construção de uma pista de atletismo no meio da periferia, seja para poder saciar a fome de tantas pessoas necessitadas – não só de alimento, mas também de esperança”, comemora Fran. 

“A ASICS reafirma seu compromisso com o esporte ao criar ações globais e locais no combate às consequências da pandemia para a comunidade da corrida. Estamos orgulhosos em anunciar a campanha “Run to Feel”, com diversos projetos que trarão um impacto muito positivo para várias pessoas do segmento”, comemora Constanza Novillo, head de Marketing da ASICS América Latina. Ela acrescenta que ao longo do mês, querem incentivar todos os corredores a compartilharem e postarem quais sentimentos a corrida traz à tona, por meio da hashtag #RunToFeel nas redes sociais, relembrando todos benefícios que a corrida já trouxe para suas vidas”. 

Doações para Atletas Profissionais 

Atletas profissionais, que dependem do esporte para sobreviver, também foram impactados economicamente durante o período de isolamento social, devido a cancelamento de provas e corte de patrocínios. Fundada na crença de que o esporte pode ajudar qualquer pessoa a alcançar uma mente sã e um corpo são, a ASICS decidiu apoiar os atletas de elite, selecionando 30 atletas profissionais, com registro na CBAT (Confederação Brasileira de Atletismo) para doar kits de produtos da marca. Assim, ampliando o acesso a produtos com tecnologia de ponta para melhorarem suas performances, mesmo que estes estejam ocorrendo dentro de casa. A seleção dos 30 atletas será feita pelo consultor da marca, o treinador Cláudio Castilho, junto com Fran Kauê da ONG AEC Kauê de Itaquera e o fundista Solonei Silva, atleta ASICS. 

Também está sendo uma plataforma online colaborativa, a  www.runtofeel.com.br, na qual  qualquer atleta com registro na CBAT poderá se inscrever em breve e compartilhar suas histórias e seus contatos. O objetivo é criar uma rede de conexões e proporcionar mais visibilidade para que outras pessoas interessadas possam contatá-los diretamente para ajudar. 

 

Tudo o que sabemos sobre:

corrida de ruapesquisacoronavírusasics

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: