Professor universitário morre na Maratona de Santiago

Professor universitário morre na Maratona de Santiago

SILVIA HERRERA

09 de abril de 2019 | 07h30

Claudio Agurto Spencer, 51 anos, participava da meia maratona e sofreu um enfarte no trajeto. Ambulância da prova não tinha desfibrilador. #maratona #maratonadesantiago #BlogCorridaParaTodos

Claudio Agurto Spencer

A prova aconteceu no domingo (7/4) de manhã com 33 mil inscritos. O corredor teve parada cardíaca na altura da Avenida Los Leones con Puro (veja percurso abaixo). Testemunhas disseram ao site chinelo “Las Ultimas Noticias” que a ambulância que estava no local não estava com o desfibrilador e uma enfermeira fez massagem cardíaca por mais de 10 minutos, enquanto chamavam outra ambulância pelo rádio.

A enfermeira Karin France, que estava no local, disse que este aparelho é crucial nestas situações e que a outra ambulância, com o desfibrilador, demorou meia hora para chegar. O maratonista foi levado a Clínica Santa María, mas não resistiu. Outros quatro maratonistas deram entrada na mesma clínical, com quadro de desidratação, mas todos já tiveram alta. A temperatura bateu a casa dos 33 º no domingo, a média histórica é de 24º.

Os organizadores foram até o hospital prestar condolências aos familiares. Segundo os parentes, Claudio adorava correr e era a a segunda vez que Claudio corria esta maratona. No ano passado ele participou da meia maratona – e concluiu em 2h26. Ele era psicólogo e professor da Faculdade de Jornalismo da Universidad Alberto Hurtado.  Foi também assessor de comunicação e participou ativamente da Reforma Educacional em 2015. O governo chileno já começou a investigar o caso.  O queniano Jacob Kibe venceu os 42K com o tempo de 2:13:15, liderando desde o início.

 

Mais conteúdo sobre:

maratonaMaratona de Santiago