Que japonês foi esse

Que japonês foi esse

SILVIA HERRERA

03 Maio 2018 | 12h05

Yuki Kawauchi venceu a Maratona de Boston, em condições climáticas adversas, e ficou mundialmente conhecido como “cidadão corredor”. Confira como é o universo da corrida de rua no Japão nesta entrevista exclusiva com Brett Larner, editor do Blog Japan Running News, amigo, intérprete e às vezes até empresário do campeão japonês. #maratona #corridaderua #Boston Marathon #BlogCorridaparaTodos

Kawauchi e Larner

Emocionante, esta é a palavra mais apropriada para descrever a Maratona de Boston deste ano. No masculino venceu Yuki Kawauchi, 31 anos, maratonista japonês que não se dedica 100% ao esporte. Ele é funcionário público, trabalha na administração em uma escola municipal centenária. Ele ama correr, treina no seu tempo, uma vez por dia e seus resultados são tão expressivos que é reconhecido como atleta japonês e pode representar seu país nas competições oficiais da IAAF (Federação Internacional de Atletismo). Ele começou a se destacar no esporte em 2011, quando cruzou a linha de chegada da Maratona de Tóquio em terceiro lugar, e foi melhor japonês classificado na prova, com o tempo de 02:08:37. O recorde pessoal dele é 02:08:14 (Seul, 2013).

Kawauchi aprendeu a correr com sua mãe e, durante o colégio e a universidade, fez parte dos times de atletismo. Formado, resolveu correr por prazer, bancando por ele mesmo.  Colecionando resultados excelentes, em 2011 o governo japonês o convocou para representar o país no Mundial de Maratonas. Até hoje já competiu cinco vezes por seu país. Consequentemente, os organizadores de maratonas em várias partes do mundo começaram a convidá-lo, como fazem com os atletas da elite.  E o que Kawauchi gosta mesmo é correr no frio, vento gelado e chuva. E foram nessas condições que ele venceu a duríssima e tradicional Marshfield Road Runners New Years Day Marathon, em 1º de janeiro deste ano, que lhe garantiu o convite oficial para Boston. Depois de Boston, ele anunciou que pretende pedir demissão em março do 2019 e se dedicar totalmente ao esporte. Quem sabe não conquistará o ouro olímpico em seu país, em 2020? Torço por ele. Meu herói ele já é.

Confira abaixo exclusiva com Brett Larner, grande incentivador de Kawauchi e do universo running japonês.

Quando você decidiu empreender no universo das corridas de ruas do Japão?

Brett Larner –  Fundei o JRN no verão de 2007, na mesma época do  Osaka World Championships. Minha esposa é jornalista e trabalhava para as marcas esportivas de corrida de rua japonesas e conversamos muito sobre a falta total de informação disponível em inglês sobre as corridas ou atletas japoneses. Ela me sugeriu começar um website focado nesse nicho, já que eu era especialista nesse universo de corrida no Japão.

Você é corredor amador?

Brett Larner – Sim, corro desde o Ensino Médio. Nunca fui da elite, sou apenas um corredor amador decente.

Larner em maratona de revezamento no Japão

Onde e como você conheceu Kawauchi?

Brett Larner – A primeira vez que o vi foi na pista de atletismo da universidade (Gakushuin University), quando ele era aluno lá. Tínhamos amigos em comum e por conta disso já tínhamos nos encontrado algumas vezes. Nos conhecemos mesmo em 2011 e hoje posso dizer que somos amigos.

Kawauchi é o melhor maratonista do Japão? 

Brett Larner – Isso depende do que você classifica como melhor. Ele não é o maratonista mais rápido do Japão, outros três maratonistas este ano fizerem tempos mais rápidos que o recorde pessoal dele.  E ele quase fica de fora do TOP 25 do Japão. No entanto, com esse resultado na Maratona de Boston, como um maratonista de muita raça e garra, ele é hoje considerado o melhor maratonista japonês dos tempos modernos (há 31 anos um japonês não vencia Boston). Alguns já dizem que ele é o melhor maratonista da história mundial.

Você mora no Japão?

Brett Larner – Sim, moro no Japão desde 1997, a princípio vim cursar pós-graduação e acabei ficando.

Brett Larner

O que significa a expressão “corredor cidadão” (citizen runner) aí no Japão, que foi usada para descrever o tipo de corredor que Kawauchi é?

Brett Larner – Aqui no Japão há uma liga de corredores de rua semi-profissionais chamada de  “jitsugyodan”.  Aqui o termo atleta profissional – “pro” – só é usado para atletas que possuem patrocínio de empresas privadas, que é uma categoria separada da primeira. Além dessas duas, há a categoria “shimin“, que é aplicada a todos os corredores de rua que não são estudantes e nem tem patrocínio  A tradução de “shimin”  em português é cidadão, mas que aqui esse termo significa amador, aquele que não corre pela escola, ou universidade, e também não têm patrocínios. Kawauchi se encaixa nessa categoria, ele é um corredor amador, alguém que trabalha em tempo integral e corre quando quer e pode.  O Wall Street Journal usou esse termo para descrever Kawauchi no início da carreira dele e, a partir disso o “apelido” colou.

Mas afinal, Kawauchi é um fundista da elite ou um maratonista amador?

Brett Larner – Em qualidade ele é um fundista da elite, mas na classificação ele é amador, como expliquei na resposta anterior.

Teremos Kawauchi na maratona olímpica em Tokyo20?

Brett Larner – Ele já disse algumas vezes que não pretende competir na maratona olímpica, pois ele acha que não é bom o suficiente em corridas com o clima quente. No entanto, está sofrendo uma pressão danada para mudar de ideia, ainda mais depois da vitória em Boston. Não posso dizer o que Kawauchi está pensando agora, mas em um ano e meio vamos descobrir se ele vai decidir participar da MGC Race, a seletiva para os Jogos Olímpicos no Japão em 2020.

 

Confira as novidades do universo da corrida de rua no Japão

Japan Running News – http://japanrunningnews.blogspot.com.br/

 

Mais conteúdo sobre:

maratona