Segredos dos 18 trechos da Volta à Ilha

Segredos dos 18 trechos da Volta à Ilha

SILVIA HERRERA

04 de abril de 2018 | 08h08

Ultramaratona de revezamento vai contornar Florianópolis neste sábado, dia 7 de abril, maior evento neste formato na América Latina. #BlogCorridaParaTodos #maratona #VoltaàIlha

Lagoinha – Foto: Gabriel Heusi/Heusi Action

É a 23ª edição dessa corrida de rua que vai reunir quatro mil atletas amadores de todo Brasil, que vão se revezar nos 140Km da prova dividida em 18 trechos. O pior deles é o 16, apelidado pelos corredores de Morro Maldito. Para algumas equipes, o maior desafio é conseguir terminar a prova no menor tempo possível, para competir mesmo, enquanto para outras conseguir finalizar já é uma grande vitória.

As equipes são formadas por dois, oito ou até doze atletas e competem em 9 categorias: Duplas, Aberta, Aberta Mista, Feminina, Veteranas 40, 50, 60 anos, Veterana mista e Participação. Dos 4 mil inscritos apenas 38 optaram correr os 140KM em duplas, ou seja, são 19 duplas. Uma delas promete se destacar, é formada pelas ultramaratonistas de Floripa Debora Simas (campeã da Indomit Costa Esmeralda 2014) e Tatiana Schmidt.

Confira abaixo o que reserva cada um dos 18 trechos, segundo Eco Floripa, organizador da prova:

01 – Saída – Av. Beira Mar Norte (Trapiche): com 7,2 km, o primeiro trecho da Volta à Ilha sai da tradicional Avenida Beira-Mar Norte, em frente ao Trapiche, em direção ao bairro João Paulo com toda distância sendo percorrida no asfalto. Nível fácil

02 – Bairro João Paulo – Praça Dr. Fausto L.S. Brasil: consiste em 4km de asfalto até a chegada na Rodovia SC-401, no Office Park. Nível fácil.

03 – Rod. SC 401 – Office Park:  aqui as coisas começam a complicar. Os atletas percorrem 8,3km em um trecho de asfalto considerado difícil passando pelo Cacupé até chegar à Santo Antônio de Lisboa. Nível difícil

04 – Santo Antônio da Lisboa (Praça): um dos trechos mais peculiares, por aqui os corredores percorrem a famosa via gastronômica de Santo Antônio de Lisboa indo até o pontal do Sambaqui, onde ocorre a travessia de banana boat até a praia da Daniela. Até lá, são 5,1km e depois mais 2,9km pela belíssima praia somando 8km. Nível  moderado.

05 – Praia da Daniela:  a quinta etapa segue pelo final da Praia da Daniela passando por uma trilha de 800m até a Praia do Forte. De lá os atletas seguem até o final, onde acessam mais uma trilha de 200m até o Forte de São José, passando pelas Praias de Jurerê Internacional e Jurerê Tradicional. 5,1km de trilhas e praias. Se chover, como no ano passado, cuidado para não escorregar nas pedras. Nível moderado.

06 – Jurerê Tradicional (fim da praia): chegando ao final de Jurerê Tradicional os atletas que percorrerem o sexto trecho seguem em direção à Praia de Canajurê, passando na sequencia por Canasvieiras até chegar a Cachoeira do Bom Jesus. São 5,3km de praia, optei por um calçado com cabedal bem fechado, para não deixar a areia entrar. Nível moderado.

07 – Cachoeira do Bom Jesus:  aqui o bicho pega! Este trecho  tem 10,4km, sendo que os sete primeiros passam por Ponta das Canas e Lagoinha até a chegada da trilha. De lá, são 3km de subida bem forte, especialmente no início, até a chegada na Praia Brava. Nível difícil.

08 – Praia Brava: não se deixe enganar pela distância. Os 5,2km do trecho são considerados duros: 800m de praia, mais 1,8km de trilha com uma descida repleta de pedras. De lá o corredor ingressa na Praia dos Ingleses até chegar ao posto de controle. Optei por um calçado de trilha, que segure bem. Nível difícil.

Final da Praia Brava – Foto: Gabriel Heusi/Heusi Action

09 – Praia dos Ingleses:  hora de respirar um pouco. O trecho contempla 4,7km entre a Praia dos Ingleses até o Santinho. Nível fácil.

10 – Praia do Santinho – Posto Guarda-vidas: aqui a coisa começa a esquentar de novo! Trilha, areia, passando pelas Dunas do Santinho, mais um trilha de areia chegando na Estrada da Praia do Moçambique formam os 8,4km do décimo trecho da Volta à Ilha. Nível moderado.

Dunas do Santinho – Foto: Gabriel Heusi/Heusi Action

11 – Praia do Moçambique: apesar de ser “apenas” 5,7km, essa parte tem a areia fofa até a chegada na Barra da Lagoa. Nível difícil.

12 – Barra da Lagoa – Cidade da Barra: são 8,1km entre as duas praias e é preciso enfrentar alguns morros, especialmente os da Praia Mole. Apesar de ser em asfalto, esse é um trecho que exige muito dos atletas, principalmente porque costuma ocorrer no meio do dia, quando o sol está mais quente. Nível difícil.

13 – Praia da Joaquina: mais 4,9km de trecho de praia até chegar ao Novo Campeche. Nível moderado.

14 – Praia do Novo Campeche:  trecho segue pela Praia do Campeche, passando pelo Morro das Pedras até chegar a Praia da Armação. São 7,7km entre areia e asfalto. Nível difícil.

Morro das Pedras – Foto: Green Multimídia

15 – Praia da Armação (perto da Lagoa do Peri): começa com 1,2km de areia muito fofa, depois segue pelo aterro junto à praia, segue por um trecho de asfalto até chegar a Praia do Pântano do Sul. De lá mais alguns quilômetros até chegar a Praia dos Açores completado 9,3km. Nível moderado.

16 – Praia dos Açores/Morro do Sertão: – trecho da Praia dos Açores/Morro do Sertão, conhecido pelos participantes também como “Morro Maldito”. São 16,4km com direito a subida e descida bem íngremes, trechos de asfalto, trilha em barro e tudo mais que você possa imaginar, passando inclusive pelas casas coloniais do Ribeirão da Ilha. Para encarar esse trecho o atleta deve estar bem preparado, pois ele exige demais do condicionamento físico. Nível difícil.

Morro Maldito – Foto: Green Multimídia

17 – Tapera – Fazenda da Ressacada: depois do Sertão tem mais 15,2km passando pela Base Aérea, Trevo da Ressacada, Trevo da Seta até chegar a Via Expressa Sul onde acontece a última troca da prova. Nível moderado.

18 – Via Expressa Sul – Saco dos Limões: são 6,1km de asfalto para fechar a prova. Por aqui o atleta passa pela Passarela Nego Quirido e Centro Sul. Quando a Ponte Hercílio Luz aparece é hora de toda equipe se reunir para cruzarem juntos a linha de chegada novamente na Avenida Beira-Mar Norte. Nível fácil

Tudo o que sabemos sobre:

corrida de ruaUltramaratona

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: