Sem recorde, Kipchoge vence a Maratona de Berlim

Sem recorde, Kipchoge vence a Maratona de Berlim

SILVIA HERRERA

24 de setembro de 2017 | 10h21

Eliud Kipchoge (KEN), Wilson Kipsang (KEN) e Kenisa Bekele (Eritreia) prometeram que dariam o melhor para quebrar o recorde da maratona em Berlim. Mas dos três apenas o primeiro cruzou a linha de chegada dos 42K, com 2:03:32 – ou seja faltaram apenas 35 segundos… #corridaparatodos #corridaderua #maratona

reprodução de Instagram WMMajors

O atual recode é de 02:02:57, quebrado por Denis Kimetto em 2014, ali mesmo em Berlim. Kimetto vai correr a Maratona de Chicago, em outubro. Vem mais emoção por aí.

Quem chamou a atenção mesmo foi o estreante Guye Adola (Etiópia), de 26 anos, que veio na sombra de Kipchoge, chegando em segundo apenas 14 segundos depois. É a melhor marca de um estreante na história das maratonas. A terceira colocação foi conquistada por Mosinet Geremew (02:06:09).

Esta foi a segunda vitória de Kipchoge em Berlim. Mesmo não batendo o recorde, vamos combinar que 2017 é o ano dele, quase bateu o desafio Breaking 2 da Nike em Monza, agora vence Berlim e assim se torna o primeiro fundista a vencer seis das maratonas Majors (Londres, Berlim, Chicago, Boston, Nova York e Tóquio). Não é a toa que cruzou a linha de chegada com um sorriso de orelha a orelha. Merece comemorar mesmo. E foi com cerveja, é claro!! Aliás, todos os concluintes podem se “hidratar” com cerveja. Kipchoge disse ao canal NBC, que transmitiu a prova, que o recorde ainda está na pernas dele: “Estava focado em bater o recorde durante toda a corrida, amanhã é um novo dia. E o recorde ainda está nas minhas pernas”.

O campeão disse aos jornalistas que ficou muito feliz por tido a chance de correr esta maratona. Argumentou que as condições climáticas não foram as melhores, por conta da chuva. Disse também que não tinha ideia que Adola seria seu principal rival. “O esporte é assim”, disse. Bekele quebrou com 61 minutos de prova e Kipsang no km 30.

No feminino deu Gladys Cherono (KEN) – foto abaixo –  com  2:20:23, Ruti Aga (Etiópia) –  2:20:41 e Valary Ayabei (Kenya) -02:20:53. Foi a segunda vitória de Gladys em Berlim.

 

Se você adora maratonas como eu, confira abaixo como foi a cobertura da TV do Quênia, a KTN TV

 

Tudo o que sabemos sobre:

maratonacorrida de rua

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.