Senbere Teferi é a nova recordista mundial dos 5k e Agnes Tirop, dos 10k

Senbere Teferi é a nova recordista mundial dos 5k e Agnes Tirop, dos 10k

Desta vez as rivais escolheram provas diferentes e fizeram história no adizero Road To Records, na Alemanha

SILVIA HERRERA

14 de setembro de 2021 | 15h36

Domingo, 12 de setembro, tinha tudo para ser um dia de celebração em Herzogenaurach (Alemanha), no campus da adidas, que realizou o adizero Road To Records, um evento para que seus atletas tivessem mais uma chance para quebrar os recordes mundiais. E foi o que aconteceu e em dose dupla. As rivais Senbere Teferi (Etiópia) e Agnes Tirop (Quênia) quebraram duas das marcas. A primeira é a mais nova recordista mundial da corrida de rua de 5km, diminuindo o recorde em 15 segundos, com o tempo de 14:29;  e a segunda, a detentora da nova marca de 30:01,  28 segundos mais rápida que  anterior dos 10km, estabelecida há 19 anos. Mas por que esse domingão não foi de celebração absoluta no QG da adidas? Por apenas uma razão: no mesmo dia, na 38ª Maratona de Viena, o primeiro dos 6 mil participantes a cruzar a linha de chegada foi o etíope Derara Hurisa, calçando um adidas adizero Prime X, que foi lançado em 2020 e proibido para atletas profissionais para competições, está na lista de calçados proibidos pela federação internacional de atletismo. O adizero Prime X tem uma entressola alta, com  5cm de altura,  um centímetro maior do que o permitido.  Fico imaginando como devem ter recebido essa notícia na Alemanha.

Agnes Tirop é a nova recordista mundial dos 10km

Enquanto Hurisa digeria a punição, sua conterrânea Senbere festejava muito: “Estou tão feliz. Depois da Olimpíada, sabia que estava pronta para buscar esse recorde.”Ela foi a sexta colocada na Olimpíada de Tóquio nos 5 mil metros rasos (na pista). Na Rio 2016 ela ficou em quinto. “Correr vem de duas coisas: naturalmente e do treinamento. Minha habilidade para correr é um dom, corro desde distâncias médias a maratonas, o que é muito natural para mim”, explicou a atleta de 26 anos. Já Agnes, 25 anos, compete pelo Quênia desde os 16 anos, e sempre belisca o pódio em provas de fundo e meio fundo. “Estou muito feliz, senti que o pace estava bom e deu certo”, destacou Agnes, que foi a quarta colocada nos 5 mil metros rasos na Olimpíada de Tóquio. As duas competem provas de fundo e meio fundo e são rivais há oito anos. Os recordes ainda precisam ser ratificados pela World Athletics, o que pode demorar cerca de seis meses.

Senbere Teferi e Agnes Tirop são rivais há oito anos

Realizada em Herzogenaurach,  a corrida contou com atletas do mundo todo percorrendo um trajeto especialmente desenhado em volta do World of Sport, o campus da adidas.  A competição teve transmissão ao vivo nos canais adidas running no Youtube (veja abaixo) e Twitter. Os atletas da elite  calçavam os novos tênis da família adizero, Adios Pro 2  e o ainda não lançado ADIZERO TAKUMI SEN 8, especialmente desenhado para velocidade em curta e média distância. Toda a coleção ADIZERO foi criada usando insights e dados meticulosamente apurados a partir dos atletas mais rápidos do mundo, combinando informações mecânicas, biomecânicas e fisiológicas. O Adios Pro 2 deve chegar às lojas brasileiras ainda este ano e o Takumi só em 2022. Ele será lançado na Europa e nos EUA no dia 1º de dezembro.

O evento foi aberto com os 21km. O queniano Abel Kipchumba venceu a masculina com 58:58. No feminino, a queniana Brenda Jepleting venceu com 1:06: 52. Nos 10k masculino, o queniano Rhonex Kipruto, atual recordista mundial da marca, venceu com 26:43. E o queniano Jacob Krop, 20 anos, teve uma vitória surpreendente sobre Muktar Edris, cruzando a linha de chegada 13:06.

Senbere Teferi é a nova recordista dos 5km

ADIZERO ADIOS PRO 2  – segundo informações da adidas, a silhueta vem com duas camadas de entressola LIGHTSTRIKE PRO duplamente esculpida para promover um retorno de energia ainda maior. As hastes ENERGYRODS sintonizadas por infusão de carbono criam uma leve rigidez que limita a perda de energia. O cabedal de poliéster ultraleve CELERMESH 2.0 parcialmente reciclado contribui para a velocidade com flexibilidade, respirabilidade e suporte, enquanto o SOLADO DE BORRACHA CONTINENTAL™ cria uma zona de tração e suporte para maior rapidez de aceleração e conforto. No caso é a borracha do pneu mesmo. A adidas tem muitas referências do automobilismo.

ADIZERO TAKUMI SEN 8 – combina os elementos chave do ADIOS PRO 2, mas é desenhado especificamente para corridas de 5 a 10km. As camadas do LIGHTSTRIKE PRO combinadas com a sola de borracha CONTINENTAL™ maximizam a tração, enquanto o heel plate atualizado aumenta o conforto nas transições. As fibras dos ENERGYRODS se encaixam em meio as camadas de LIGHTSTRIKE PRO, proporcionando uma transição mais rápida do que o PRO 2 e uma configuração mais suave para corridas de meia distância.

Voltando a Viena, os organizadores da prova explicaram que todos os atletas da elite, ou seus treinadores ou agentes, têm que preencher um formulário no qual colocam o nome, sobrenome e marca do tênis que será calçado pelo atleta na prova. No formulário o tênis escrito foi outro modelo. E 45 minutos após a vitória, Derara foi avisado que seria desclassificado por conta do calçado “ilegal”. Ele cruzou a linha de chegada aos 2:09:22. E o segundo colocado, o queniano Leonard Langat (2:09:25) saiu vitorioso. Derara Hurisa explicou que escolheu o tênis, pois é o que usa direto nos treinos… E foi a primeira vez na história do esporte que um maratonista foi desclassificado por causa do tênis. É o novo normal em todos os aspectos, hoje há vários modelos de tênis que são considerados um tipo de doping tecnológico – uma vantagem tecnológica.

A Maratona de Viena marcou a volta da modalidade pós pandemia na Europa, 26 mil pessoas de 126 diferentes países se inscreveram no evento, que contou com outras distâncias também. Seis mil delas correram a maratona. E não foi só isso. Houve uma morte entre os corredores amadores que participaram da meia maratona. Um austríaco de 40 anos, que passou mal durante a corrida e foi urgentemente levado ao hospital mais próximo. O organizador da prova, Wolfgang Konrad, ficou muito triste e chateado com o ocorrido e desejou as mais sinceras condolências aos parentes do corredor. Este evento é realizado todos os anos, desde 1984 em abril. No ano passado foi cancelada e este ano, adiada de abril para setembro.

Confira como foi Road to Records:

Tudo o que sabemos sobre:

recorde mundialSenbere TeferiAgnes Tirop

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.