Teste de protocolo no Sambódromo marca retorno das corridas de rua a São Paulo

Teste de protocolo no Sambódromo marca retorno das corridas de rua a São Paulo

Evento seguiu rígido protocolo de segurança sanitária

SILVIA HERRERA

25 de outubro de 2020 | 13h55

“Respeita o protocolo” era a frase mais ouvida nesta manhã de domingo, 25 de outubro, no interior do Sambódromo, na zona norte da capital paulista, onde foi realizada a verificação do protocolo de medidas sanitárias, para o retorno das corridas de rua na capital paulista, desenvolvido pela Associação Brasileira dos Organizadores de Corrida de Rua e Esportes Outdoor (ABRACEO). O evento foi acompanhado de perto por equipes do Covisa e da Vigilância Sanitária. E até São Pedro ajudou, garantindo um clima perfeito para celebrar a volta da corrida de rua a São Paulo, oito meses após a suspensão devido a pandemia do coronavírus.

125 corredores participaram do teste no Anhembi

A entrada dos corredores foi pelo Portão 31, onde a temperatura de todos os participantes foi aferida, ainda dentro dos carros.  A corrida de 5km estava marcada para às 7h. A largada foi em ondas a cada 30 segundos. Foram  cinco ondas no total – o critério de seleção foi o pace (ritmo) médio do corredor, os mais rápidos largaram primeiro, com os atletas a 2 metros de distância uns dos outros,  posicionados ao lado de cones.

Participaram do teste 138 corredores convidados, 52 mulheres e 86 homens –  entre treinadores, professores de Educação Física e alguns jornalistas, caso de Viviane Jorge, nossa “infiltrada”. “Foi emocionante voltar a correr, mesmo de máscara,  eu larguei na última onda, a laranja. E o uso da máscara  foi 100% respeitado, todo mundo bem comportado, sem aglomerações e torcendo para que as corridas voltem em breve”, conta Vivi, que segurou as lágrimas na chegada por ter participado da primeira corrida de rua em Sampa após o início da pandemia.

Paulo Carelli, presidente da ABRACEO ficou muito contente com a concretização da verificação prática desse protocolo, fruto de dezenas de reuniões e muito trabalho. “Depois de tanto tempo, foi muito bacana dar uma largada de uma corrida de rua de novo. E foi muito interessante colocar em prática nosso protocolo, orientar o staff os corredores”, observa. Ele acrescenta que os corredores colaboraram e seguiram à risca todas as regras. “Foi um evento marcante. O Covisa fez algumas observações mínima e técnicas – com relação à área médica,  dispersão e largada, facilmente de serem ajustadas que não vão impactar nas condutas adotadas, ajustes que vão melhorar ainda mais o protocolo”, acrescenta. Uma das observações feitas pelos técnicos é orientar o corredor a chegar mais próximo ao horário da sua largada. “Todo mundo se sentiu seguro e bem, por ter participado”, avalia.

No meio do percurso de 5km, testaram uma nova forma de hidratação – saem as bacias cheias de gelo e dezenas de copos mergulhados, onde todo mundo colocava a mão, ou recebiam os copos do staff, e entraram várias mesinhas com os copos – separados – sobre elas. E também mesas com máscaras descartáveis à disposição. Foi uma corrida contra o relógio, e só depois da última bateria, depois de todos os tempos contabilizados, foi possível conhecer os campeões. “Com essa quantidade de pessoa é possível realmente fazer o evento sem aglomeração. Aliás, o locutor quando via uma possível aglomeração já pedia para dispersar, e o pessoal obedeceu, tudo foi feito com muito cuidado, a organização está de parabéns”, avalia Vivi, que argumenta que enquanto não houver uma vacina que proteja da Covid 19 esse modelo de corrida reduzido, talvez seja uma saída possível para a volta das corridas. Isso vamos ter certeza absoluta daqui 14 dias, tempo de transmissão da Covid-19.

A organização da corrida foi liderada pela ABRACEO, criada em março, que contou quatro empresas organizadoras. “Vale ressaltar que foi uma maneira totalmente diferente de se realizar evento, sempre cada um fazia seu evento, e desta vez dividimos as responsabilidades, no que cada uma delas poderia contribuir mais e funcionou muito bem. A prova ficou redondinha, e contamos com a participação de muitos voluntários, que se disponibilizaram a trabalhar neste domingo de manhã sem receber nada por isso, algo inédito até então”, destaca Carelli. Participaram da organização: Iguana Sports, Norte Marketing Esportivo, Yescom, TF Sports e Beta Sports.

PÓDIO

Feminino

1ª Natália Regina Painelli – 19:15

2ª Conceição de Maria Carvalho – 19:50

3ª Andressa Lopes Sampaio – 21:07

Masculino

1º Jucimario de Melo Silva – 16:20

2º Kaue Orvalho de Almeida Rodrigues – 16:29

3º Rodrigo José de Meneses – 17: 12

 

Tudo o que sabemos sobre:

Abraceocoronavírusprotocolocorrida de rua

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: