Tudo pronto para a Maratona de Boston

Tudo pronto para a Maratona de Boston

SILVIA HERRERA

14 de abril de 2018 | 17h38

Segunda-feira, 16 de abril, 40 mil corredores de todos os cantos do mundo vão participar da maratona mais  antiga do mundo, realizada desde 1897 na capital de Massachusetts (EUA). #BlogCorridaParaTodos #Maratona

Todo maratonista amador sonha em completar esta prova, que também é uma das mais difíceis. O cirurgião Sergio Miranda, de 56 anos, não tem boas lembranças dela, mas está nos planos repetir a dose em breve. “Boston é diferente, como há índice mínimo de tempo para poder se inscrever os corredores que participam sentem orgulho de poder estar lá. Mas minha participação foi traumática, estava muito frio e choveu o tempo inteiro. Aprendi muito sobre estratégia nessa corrida e quando terminar de correr todas as Majors vou repetir a dose”, conta. Miranda concluiu Boston em 3h:07, tempo acima da meta dele. A Maratona de Chicago ele concluiu duas vezes na casa de 3:04; e em dezembro ele cruzou a linha de chegada da Maratona de Sacramento em 2:59:17 . Semana que vem ele estará na Maratona de Londres, que terá a presença da rainha Elizabeth na largada.

Sergio Miranda na Maratona da Califórnia

Um dos aprendizados em Boston foi a importância da suplementação. “Maratonista precisa estar muito magro e forte, quase um contrassenso. Como perder o máximo de peso sem perder músculo e sem perder imunidade? Ter a certeza que um profissional está analisando e estudando seu comportamento por meio do seu desempenho, dos testes clínicos, e prepara a nutrição adequada que irá garantir saúde, desempenho e confiança são os principais benefícios de contar com um nutrólogo”, destaca Miranda.

O médico nutrólogo Eduardo Rauen reforça essa informação, o maratonista tem que ser forte e magro e há exames específicos para determinar tudo que deve ser feito durante os 42K para o corredor amador possa sair inteiro da prova e sem lesões; e também nos treinos. “O risco de se lesionar numa maratona é muito grande, se acabar a reserva energética isso piora muito”, explica o médico que atende vários maratonistas. Um deles, o engenheiro Augusto Puliti, 40 anos, chegou ao consultório com um desafio e tanto. Ele corre Boston na segunda-feira e seis dias depois a Maratona de Londres. Pai de três filhos, o foco dele é ter longevidade no esporte e não precisar abrir mãos da vida em família, para ele o preço de conquistar tempos abaixo de 3 horas é muito alto. “Prefiro correr  uma maratona entre 3:07 e 3:12 e poder curtir minha família e saborear uma pizza e um hambúrguer. Já fui sub3, não quero isso para minha vida”, argumenta. Bom, vamos combinar que este tempo para um amador é excelente!!

Augusto Puliti

Rauen explica que o principal é sempre procurar um médico antes mesmo de começar a correr. “Procure um médico para evitar lesões permanentes, geralmente a maioria das pessoas não sabe que tem algum problema e passa dos limites. E quem vai colocar o limite e evitar que o lazer vire um problemão é o médico”, recomenda.

Muita gente me pergunta a diferença entre nutricionista e nutrólogo. “Os nutrólogos são médicos, são formados em medicina e depois se especializam em nutrologia, cuidam de doenças e ministram tratamentos medicamentosos. O nutricionista não é médico”, compara. No caso dos tratamentos preventivos para corredores amadores e atletas profissionais, Rauen trabalha em conjunto com nutricionistas, que são responsáveis pelas dietas. O nutrólogo verifica como o organismo do paciente se comporta nas corridas, em quais momentos tem queda de energia e as razões disso; e também como deve ser feita a hidratação. “O paciente tem que fazer um ergoespirométrico para que tudo seja avaliado com precisão”, acrescenta. Puliti gostou muito do tratamento com o nutrólogo. “Ele usa a ciência a seu favor, realizam um levantamento completo e sempre há um plano B. Por exemplo, foi recomendado comer macarrão às 6h, no dia da corrida. Disse que isso seria impossível e mudaram o esquema”, observa.

Mas por que duas maratonas tão especiais em uma semana? Puliti explica que essa possibilidade caiu no colo dele e o universo foi conspirando a favor. Na verdade ele estava inscrito para Londres, presente da empresa que ele trabalha, cuja a sede é lá; e surgiu uma reunião em Boston, um pouco antes da maratona, que daria tempo para ele participar. Pois bem, ele tinha índice e conseguiu se inscrever. Para que ele consiga fazer as duas maratonas está fazendo um trabalho estratégico de hidratação e suplementação, sugerido por um amigo que fez. “Já corri 22 maratonas, mas como vou correr duas em um curto espaço de tempo não posso me machucar nem me lesionar”, explica. Devo concordar, se estivesse na situação dele não deixaria passar essa oportunidade tomando os devidos cuidados. “Boston tem uma aura especial, tem a seleção de índice para participar, o percurso é bastante difícil, com muito sobe e desce, Boston é a meca da corrida”, conta. Com certeza, é lá que as mulheres exigiram e conquistaram o direito de participar; e agora são as transexuais, confirmadas para esta 122ª edição. Boston respira corrida de rua.  Boa provas Puliti! Boa maratona Miranda!! E muita sorte para ambos!! Com essa estratégia de suplementação e hidratação, tenho certeza que vocês vão voar.  A Globosat tem os diretos de transmissão da Maratona de Boston e o SporTV deve transmitir. A geral larga às 10h, horário de Boston.

 

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

maratona

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: