As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Uma usina de nadadores chineses em Gold Coast

Estadão Esportes

30 de julho de 2012 | 10h57

Os chineses estão trabalhando para melhorar seus resultados na natação há muitos anos.

Há mais de uma década, Pequim foi escolhida para sediar os Jogos Olímpicos de 2008. Obcecados por resultados impressionantes nas piscinas, os dirigentes chineses foram buscar conhecimento na Austrália.

O Estado chinês paga vultosas somas para alugar o Miami Aquatic Center, localizado em Goald Coast, no litoral australiano. Levas de chineses se deslocam para lá, treinam e voltam para a China. Assim que partem, uma nova leva chega.

Os nadadores escolhidos para receber esse investimento são selecionados após um recrutamento feito nas escolas. Pés e mãos grandes, capazes de deslocar apreciáveis volumes d’água, são o foco. Ye Shiwen, a chinesinha de 16 anos que foi campeã nos 400m medley, mede 1,70m, mas calça 41.

Sábado, na coletiva, Ye continuou assombrando os repórteres. Ela bateu o recorde que a australiana Stephanie Rice (4min29s45) estabelecera em Pequim. Mas a adolescente citou não poucos aspectos que precisa corrigir…O que levou os jornalistas a deduzir que ela ainda pode nadar bem mais rápido do que os 4min28s43 que registrara no sábado.

“Tenho margem de melhora, porque não sei nadar bem (o estilo) peito, tampouco faço as viradas corretamente. Não sou tão boa no crawl também”. Se ela conseguir corrigir tudo isso, o que será de Ryan Lochte???

O principal mentor da usina australiana de nadadores chineses é Denis Cotterell, responsável por orientar lendas quando se fala em fundistas, como Grant Hackett e Kieren Perkins. Os resultados desse pacto entre nações banhadas pelo Pacífico deverão ser contabilizados por anos a fio. Dos 49 nadadores chineses presentes em Londres, 27 nasceram de 90 para cá.

Alessandro Lucchetti

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.