As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Joanna Maranhão ‘abençoa’ medalha na piscina do Pan

Nadadora brasileira conquista bronze nos 200 metros borboleta

Robson Morelli

15 de julho de 2015 | 13h41

Superstição e esporte caminham juntos. Enquanto alguns atletas levam os rituais ao extremo (como o tenista Rafael Nadal e suas famosas manias), outros incorporam pequenos gestos durante toda a carreira. Esse é o caso da brasileira Joanna Maranhão.

O ouro não veio nos 200 metros borboleta, mas o bronze também foi bastante comemorado pela nadadora. Nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, Joanna quebrou o seu recorde sul-americano, que durava desde 2009, época dos trajes tecnológicos. Antes de guardar o símbolo da conquista, a brasileira não esqueceu de cumprir a tradição: molhar a medalha na água da piscina.

“Faço isso com qualquer medalha. Campeonato Pernambucano, Norte, Nordeste, Paulista, Olimpíada, Pan. Tenho que abençoar na piscina que eu nadei, uma coisa que eu faço desde pequena”, conta.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: