Dacar testa todas as nossas forças
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Dacar testa todas as nossas forças

Jean Azevedo

12 de janeiro de 2015 | 22h02

Todos sabem que o Dacar não é de brincadeira quando o assunto é complicar a nossa vida – dos pilotos. É uma competição duríssima, onde a preparação e a estratégia são fundamentais para ser ter um bom resultado ou para pelo menos conseguir completar a prova, o que já pode ser considerado uma vitória para muitos.

Passar por este deserto de sal não foi nada fácil

Passar por este deserto de sal não foi nada fácil. Foto: Marian Chytka

A etapa Maratona, Iquique-Uyuni-Iquique, entre Chile e Bolívia, foi o primeiro exemplo de como são as coisas por aqui. Pegamos chuva, frio, deserto de sal, areia, dunas… Enfim, tinha de tudo um pouco.

Tive que remendar o radiador da minha moto com Durepoxi depois que o sal, misturado com água, impediu a ventilação e o componente “explodiu” com a pressão. O sal fica uma massa dura, que mais parece pedra. A chave de fenda foi a grande aliada para resolver o problema. Tirava pelotas enormes de sal com a ferramenta.

O espanhol Joan Barreda, até então líder da categoria motos pela equipe HRC, e o português Helder Rodrigues, também enfrentaram problemas na maratona. Enfim, essa segunda-feira foi um dia para esquecer.

Mas como complicação pouca é bobagem, daqui dois dias teremos mais uma etapa Maratona, entre Calama e Cachi. Muitas emoções ainda estarão por vir!

Conto muito com a torcida de vocês!

* Jean Azevedo é piloto de uma moto CRF 450 Rally, da equipe Honda South America Rally Team, e corre o Dacar pela 17a vez.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.