A F-1 opina sobre quem será campeão

liviooricchio

26 de agosto de 2006 | 13h25

ATENÇÃO: TEXTO PARA AS EDIÇÕES DE DOMINGO
Reportagem de F-1: Pilotos, técnicos e dirigentes apostam em quem será campeão
GP da Turquia
Livio Oricchio, de Istambul

Início
Enquanto Fernando Alonso celebrava no pódio sua vitória no GP do Canadá, a quarta seguida na temporada, e a diferença dele para Michael Schumacher na classificação do campeonato atingia 25 pontos, a pergunta mais comum na Fórmula 1 era em que etapa do Mundial o piloto da Renault definiria matematicamente o bicampeonato. Apenas quatro corridas depois, a questão que está no ar é: quem será campeão, Alonso, ainda, ou Schumacher, já que hoje, antes da largada da prova de Istambul, apenas 10 pontos separam o espanhol do piloto da Ferrari, 100 a 90.
As opiniões se dividem. Curiosamente a maioria acredita que, apesar do avanço da Ferrari e sua fornecedora de pneus, Bridgestone, bem como a proibição de a Renault usar o sistema de amortecedor de massa, Alonso deve conquistar o Mundial. “O momento é mais da Ferrari que da Renault, mas os 10 pontos a favor do Alonso representam bastante. Apostaria nele”, diz Rubens Barrichello, da Honda. “Sou mais Schumacher e farei de tudo para que ele vença”, falou Felipe Massa, companheiro do alemão.
O finlandês Kimi Raikkonen, da McLaren, se confirmado o avanço de sua equipe, como pareceu na Hungria, pode ser decisivo na disputa. “Nas últimas etapas a Ferrari se apresentou melhor que a Renault, mas penso que tanto a equipe quanto a Michelin vão reagir já aqui na Turquia. Isso e a vantagem de Alonso me fazem acreditar que ele será o campeão.” Uma visão suspeita tem Flavio Briatore, diretor-geral da Renault: “Alonso ganha porque é melhor piloto e dispõe do melhor carro, apesar de FIA desejar modificar o resultado do Mundial.”
O italiano acredita que ao proibir só agora o uso do amortecedor de massa, presente no carro da Renault desde o ano passado, a FIA está mascarando a realidade técnica da Fórmula 1. “Somos os melhores, mas parece que há quem pretenda que outros assumam nosso papel.” As relações entre Briatore e o presidente da FIA, Max Mosley, estão tensas. Pat Symonds, diretor de engenharia do time francês, vê como Briatore: “Mesmo sem o amortecedor de massa, que nos afeta, Alonso será campeão. Já estamos sabendo reagir. Ele terá em Monza (10 de setembro) um carro tão rápido como era com o amortecedor de massa.”
A direção da Ferrari não gostou de ouvir de Ron Dennis, diretor e sócio da McLaren, que sua equipe trabalharia para ajudar Alonso ser campeão. “Do ponto de vista prático podemos é ajudar a Michelin desenvolver melhor seus pneus, o que acontecerá já na próxima semana nos testes de Monza. Vejo Alonso como campeão novamente.” Em 2007 o espanhol pilotará para a McLaren. “Alonso, lógico, porque é melhor que Schumacher”, diz Pedro de la Rosa, atualmente titular da McLaren.
Mark Webber, da Williams, e o ex-companheiro de Beentton, Martin Brundle, hoje comentarista de TV, e Ralf, da Toyota, apostam em Schumacher. Já Giancarlo Fisichella, Renault, Jenson Button, Honda, David Coulthard, Red Bull, Jarno Trulli, Toyota, poriam suas fichas em Alonso. É possível que ao final da corrida de hoje, no Istambul Park, algumas dessas opiniões sejam revistas.
FIM

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.