A matemática do título

liviooricchio

07 de outubro de 2007 | 15h11

07/X/07
GP da China
Livio Oricchio, de Xangai

Início

Apesar do erro e do abandono no GP da China, as chances de Lewis Hamilton ser campeão do mundo na etapa final do campeonato, dia 21 em Interlagos, ainda são grandes. Depois de 16 provas, Hamilton continua líder, com 107 pontos, mas seu companheiro de McLaren, Fernando Alonso, se aproximou bastante com o segundo lugar, já que soma 103 pontos. São apenas 4 pontos de diferença. Kimi Raikkonen, vencedor ontem, tem 100.

Hamilton será o primeiro estreante e o mais jovem campeão da história no GP do Brasil se: vencer a corrida ou classificar-se em 2º. É o único que depende apenas de si. Se Alonso ganhar, Hamilton tem de ser 2º. Caso Alonso seja 2º, basta Hamilton ser 4º. Outras combinações que garantem a conquista: Alonso 3º, Hamilton 6º; Alonso 4º, Hamilton 7º e Alonso 5º, Hamilton 8º.

No confronto com Raikkonen, as possibilidades de Hamilton são bem maiores já que a diferença entre ambos é de 7 pontos. Se o finlandês da Ferrari vencer, Hamilton precisa ser 5º e no caso de Raikkonen terminar em 2º, o 7º lugar será suficiente para Hamilton.

Há ainda a disputa entre Alonso e Raikkonen. O espanhol tem 3 pontos a
mais. Se o finlandês vencer, o piloto da McLaren precisa ser 2º para ficar na frente do piloto da Ferrari. Se Raikkonen for 2º, Alonso necessita receber a bandeirada em 3º. Caso o piloto da Ferrari termine em 3º, Alonso pode ser 5º. Outras combinações que lhe permitem vencer o finlandês: Raikkonen 4º, Alonso 6º; Raikkonen 5º, Alonso 7º; Raikkonen em 6º, Alonso em 8º.

A última vez que três pilotos se apresentaram para a última corrida do calendário com chances de conquistar o título foi em 1986. No GP da Austrália, em Adelaide, disputado no dia 26 de outubro, Nigel Mansell, da Williams, tinha 70 pontos, Nelson Piquet, seu parceiro, 63, e Alain Prost, McLaren, 64. Com a explosão de um pneu de Mansell e a obrigação de Piquet, líder, parar nos boxes para substituir os seus, Prost venceu a corrida e o Mundial.

Antes de 1986, no GP da África do Sul de 1983, realizado no dia 15 de outubro, também três pilotos poderiam ser campeões: Alain Prost, Renault, somava 55 pontos, Nelson Piquet, Brabham, 55, e Rene Arnoux, Ferrari, 49. Piquet liderou 59 das 77 voltas, terminou em terceiro e ficou com o título. Prost e Arnoux abandonaram. Uma curiosidade: nas duas ocasiões, 1983 e 1986, o piloto que ocupava o segundo lugar na classificação acabou por conquistar o Mundial, Piquet em 1983 e Prost em 1986.

FIM

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: