Acabou a sessão da manhã. Vettel, com a Red Bull muito escondida, tem o melhor tempo

liviooricchio

19 de fevereiro de 2013 | 09h30

19/II/13
Barcelona

Olá amigos.

Terminou há instantes a sessão da manhã deste primeiro dia de treinos da segunda série de ensaios da pré-temporada, aqui no Circuito da Catalunha.

Não dispomos dos dados precisos de temperatura ambiente e do asfalto, mas devemos estar com 12 graus. O asfalto vou procurar saber com as equipes e cobrar por qual razão diferentemente de outras pistas não temos, na sala de imprensa, esses dados.

Os tempos não representam muito, mas fique com eles para ter uma leve ideia do que se passou nessas quatro horas de atividades, desde a abertura do traçado, às 9 horas, 5 da manhã no horário de Brasília.

Aqui em Barcelona o teste é interrompido por uma hora para o almoço, enquanto em Jerez de la Frontera, semana passada, seguíamos direto.

A Williams apresentou seu modelo de 2013 hoje de manhã, o FW35-Renault. Frente e laterais são distintos do monoposto de 2012, mas o conjunto traseiro é bem semelhante. Mike Coughlan, diretor técnico, disse há pouco que o monoposto representa importante avanço em relação ao do ano passado. Vamos ver.

A Red Bull procura esconder de todas as formas o seu modelo RB9-Renanult. Vettel para nos boxes numa área já previamente preparada com painéis dos lados para, imediantamente, ser cercado e ninguém poder observá-lo em detalhes. A preocupação maior é esconder a porção traseira do carro.

A sala de imprensa encontra-se sobre os boxes e o vidro inclinado nos permite ver o que se passa logo abaixo, onde os carros param ao vir da pista. Os mecânicos da Red Bull lançam sobre o conjunto traseiro um molde previamente construído para se encaixar e não permitir que ninguém veja.

Será assim pelo menos até o fim da pré-temporada, para não ser copiado para as quatro primeiras etapas do calendário. Os carros dessas provas são basicamente os mesmos dos usados na abertura do Mundial, dia 17 de março na Austrália, em razão de os equipamentos permanecerem longe de suas sedes. As demais etapas são Malásia, China e Bahrein. Já para o quinto GP do ano, aqui em Barcelona, dia 12 de maio, as escuderias promovem substanciais mudanças em seus carros.

Os tempos vão melhorar até dia 3 de março, último dia de treinos da última série, com início dia 28 de fevereiro. No ano passado o mais rápido nos 4.655 metros do Circuito da Catalunha foi Kimi Raikkonen, da Lotus, com 1min22s030. É bem verdade que o uso do flap móvel (DRS) era livre, o que nesta pista garante pelo menos 3 décimos de segundo a menos no tempo da volta.

Agora o DRS está limitado à grande reta e à reta oposta. Em compensação, os novos pneus Pirelli têm maior área de contato com o asfalto e são mais aderentes, o que tende a tornar os carros mais rápidos.

Os tempos até agora, 13 horas para nós em Barcelona, 9 horas de Brasília:

Vettel (Red Bull RB9-Renault) – 1min23s046 (26 voltas)
Raikkonen (Lotus E21-Renault) – 1min23s571 (19)
Alonso (Ferrari F138) – 1min23s626 (44)
Maldonado (Williams FW35-Renault) – 1min23s733 (47)
Ricciardo (Toro Rosso STR08-Ferrari) – 1min23s884 (44)
Perez (McLaren MP4/28-Mercedes) – 1min24s124 (22)
Resta (Force India VJ06-Mercedes) – 1mn24s144 (47)
Rosberg (Mercedes W04) – 1min24s520 (14)
Gutierrez (Sauber C32-Ferrari) – 1min25s136 (38)
Pic (Caterham CR02-Renault) – 1min27s534 (40)
Chilton (Marussia MR02-Cosworth) – 1min28s068 (36)

Nos falamos mais tarde.

Abraços!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.