Aconteceu de tudo no circuito Albert Park

liviooricchio

16 de março de 2008 | 11h30

16/III/08
GP da Austrália
Livio Oricchio, de Melbourne

Início

As confusões na tumultuada corrida de abertura da temporada, onde largaram 22 pilotos e apenas 6 receberam a bandeirada, começaram cedo: ainda na primeira curva, um acidente envolveu Nelsinho Piquet, Renault, Giancarlo Fisichella, Force India, Sebastian Vettel, Toro Rosso, Jenson Button, Honda, Mark Webber, Red Bull, e Anthony Davidson, Super Aguri.

O safety car entrou na pista para a retirada dos carros e limpeza dos detritos. Destes, apenas Nelsinho prosseguiu na competição, ganhou várias posições e subiu de 20º para 12º. Seu ritmo cairia muito por causa dos danos no R28.

Felipe Massa também colidiu contra a barreira de pneus na saída da curva 1, depois de rodar sozinho, nesse mesmo instante. Regressou por conta própria à prova. Kimi Raikkonen, que largou em 15º, passa na primeira volta em oitavo. Massa vai para os boxes substituir o aerofólio dianteiro danificado. A corrida recomeça na terceira volta com a entrada do safey car nos boxes. Raikkonen tentará ultrapassar Rubens Barrichello, Honda, sétimo, até a 18ª volta, quando consegue. A briga é boa.

Lewis Hamilton, McLaren, sem adversários, abre vantagem de 11 segundos e 687 milésimos para Robert Kubica, BMW, segundo, até a hora em que este faz o primeiro pit stop, na 16ª volta. Na 21ª volta, Heikki Kovalainen, McLaren, regressa à pista em seguida a sua parada, na frente de outro finlandês, Raikkonen. A luta vale o segundo lugar. Se estende até a 30ª passagem quando o finlandês da Ferrari breca tarde demais e vai para a brita na curva 3.

Na 25ª volta, porém, David Coulthard, como tantas vezes na carreira, não observa Massa com o carro inteiramente ao seu lado e faz a trajetória normal. A colisão é inevitável e voa pedaços da Red Bull para todo lado. Safety Car na pista. Robert Kubica, BMW, Fernando Alonso, Renault, Timo Glock, Toyota, e Kazuki Nakajima, Williams, fazem pit stop.

Na 30ª volta, o safety car libera a prova. Massa encosta sua Ferrari com problema no motor. Era o sétimo. Na volta seguinte é a vez de Nelsinho abandonar com pane possivelmente na transmissão. A luta entre Alonso e Kubica é intensa.

Na 38ª volta, Hamilton lidera com Kovalainen, segundo, Nick Heidfeld, BMW, terceiro, Rubinho, quarto, o surpreendente Sebastien Bourdais, Toro Rosso, quinto, Kubica, sexto, Alonso, sétimo, Nakajima, oitavo, Timo Glock, Toyota, nono, e Raikkonen, décimo. Todos muito próximos.

Na 42ª volta, Raikkonen tenta ultrapassar Glock, coloca a roda traseira esquerda na grama e roda. Duas voltas mais tarde, Glock perde o controle da Toyota na curva 13, voa por conta da irregularidade da área de escape, passa a centímetros do muro frontal e vai deixando pedaços na pista. Novamente o safety car entra na pista.

Rubens Barrichello, sem gasolina, não respeita o sinal vermelho na entrada de box e entra para o pit stop. Será penalizado duplamente por não obedecer o vermelho também na saída de box. Kovalainen e Alonso se dão mal ao entrar nos boxes para o pit stop, mas era necessário. Perdem várias colocações.

Na 48ª volta, o safety car libera a competição. A corrida está assim: Hamilton na frente, Heidfeld, Rosberg, Bourdais, Alonso, Kovalainen, Raikkonen e Rubinho, que já cumprira stop and go. Raikkonen abandona na 53ª volta, motor, e Bourdais, na 55ª, câmbio. Kazuki Nakajima, honrando a tradição da família, é filho de Satoru Nakajima, bate na traseira da BMW de Kubica e o tira da prova na 47ª. Na próxima etapa do Mundial, na Malásia, perderá dez colocações no grid por causar o acidente.

O lance final é empolgante. Kovalainen vence o belo pega com Alonso e assume o quarto lugar a uma volta da bandeirada. Como permanece muito tempo atrás e perto do espanhol, voa de tudo na sua viseira. Ao entrar na reta dos boxes, puxa a sobreviseira a fim de substituí-la. Mas seu cotovelo toca no botão que aciona o limitador de velocidade instalado no volante.

Assim, Alonso que está atrás, o reultrapassa para ser quarto de novo sem que quase ninguém entenda a razão de Kovalainen perder velocidade. O finlandês se dá conta do erro e recomanda o limitador, liberando-o. Mas já é o quinto. Lá na frente Hamilton celebra a vitória com Heidfeld em segundo e Rosberg em terceiro, Alonso, Kovalainen, Nakajima, Bourdais e Raikkonen, oitavo. Apesar de Bourdais e Raikkonen não receberem a bandeirada, completaram 90% da prova, o que lhes garante a classificação.

A nova Fórmula 1 empolgou na Austrália.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.